Procon-SP notifica Atelex após empresa se passar por representante da Vivo


Procon-SP notifica Vivo após empresa se passar por representante da operadora Freepik.com
Crédito: Freepik.

O Procon-SP notificou a Vivo e a Atelex Do Brasil Telecomunicações pedindo explicações sobre serviços de digitalização de linhas telefônicas. Consumidores reclamaram terem sido abordados pela Atelex, que se identificou como terceirizada da empresa de telefonia, para a digitalização de suas linhas telefônicas.

Após o procedimento, os clientes ficaram sem os serviços. Ao questionarem o problema, tiveram ocorrência de portabilidade e cobrança de multa por cancelamento de serviços não contratados, diz o Procon-SP. A empresas deverão enviar as respostas até o dia 18 deste mês.

PUBLICIDADE

De acordo com a Vivo, a Atelex estava se passando por representante da operadora. A operadora informou que está entrando com uma ação judicial contra a empresa.

Ao Procon-SP, as companhias precisarão esclarecer sobre o serviço de digitalização da linha telefônica oferecido pelos funcionários da Atelex. Eles deverão informar se trata de portabilidade; quais informações prestadas e quais documentos apresentados aos consumidores sobre o serviço; por quais razões os serviços pararam de funcionar após a digitalização das linhas; se os consumidores têm ciência dessas interrupções; como devem proceder para reativar os serviços; quantas digitalizações já foram efetuados nos últimos três meses; e se há redução nos custos com o serviço.

Sobre os questionamentos dos consumidores quanto a prática de venda enganosa ou a falha informacional, o Procon-SP quer saber quantas queixas foram recebidas; se a empresa desligará os funcionários responsáveis; se há alguma compensação aos consumidores que ficaram sem o serviço e tiveram seus nomes negativados; quais providências para que esses casos não continuem ocorrendo; e, considerando que os serviços não são solicitados pelos consumidores, se a rescisão é feita de imediato e sem ônus.

De acordo com o chefe de gabinete do Procon-SP, Guilherme Farid, a portabilidade e o acesso aos dados dos consumidores está sendo investigado. O Procon-SP também busca esclarecimentos sobre qual a relação entre as empresas; quais serviços a Atelex tem legitimidade para oferecer em nome da Vivo e, inclusive, se tem acesso integral a base de dados dela; e como os seus funcionários se apresentam na comercialização dos seus produtos.

Recentemente, o Procon-SP também notificou outra operadora, a Claro, após problemas no Serviço de Aendimento ao Consumidor (SAC) da companhia.

Leia a nota da Vivo na íntegra:

“A Atelex do Brasil não é representante da Vivo para comercialização, atendimento ou prestação de serviços de telecomunicações. A Vivo apurou os fatos e já adotou as medidas judiciais cabíveis. Em caso de dúvida, clientes devem procurar os canais de atendimento e de informação oficiais da empresa, como o 10315 e o site www.vivo.com.br.”
PUBLICIDADE
Anterior Helexia Brasil fará usinas solares para a Telefônica Vivo
Próximos FAA quer medidas de segurança de aviões que pousem em aeroportos com 5G