Embratel lança produto de clínica conectada para o setor de saúde


A Embratel lançou hoje, 9, a solução Saúde Interoperabilidade, indicada para instituições públicas e privadas da área que buscam conectividade clínica, integração de informações e compartilhamento de prontuários.

PUBLICIDADE

O sistema acessa e integra todos os dados dos pacientes, seguindo as regras da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), e os distribui aos pontos de atendimento, utilizando análises para auxiliar em ações que tornem mais eficiente a assistência médica e a gestão da saúde.

Um dos maiores gargalos no setor é o acesso as informações clínicas do paciente. A cada nova consulta, as pessoas precisam explicar novamente seu histórico médico e levar exames, pois os sistemas utilizados são fechados e não possibilitam a comunicação entre os locais de atendimento. O Embratel Saúde Interoperabilidade realiza a integração de informações dos sistemas, e as equipes médicas de diferentes clínicas e hospitais passam a ter acesso a um prontuário unificado de cada pessoa, o que agiliza e torna mais seguro o atendimento. Cada paciente também possui acesso aos seus dados por meio de um portal desenvolvido especialmente para ele.

De acordo com Mário Rachid, Diretor-Executivo de Soluções Digitais da Embratel, a solução permite que sistemas operacionais trabalhem em conjunto com outras ferramentas. A solução ainda proporciona suporte à decisão clínica com monitoramento em tempo real de dados consolidados e normatizados, a partir de Analytics, Dashboards e Data Quality. A solução disponibiliza uma gestão de consentimento atendendo a LGPD, para que a coleta, armazenamento e compartilhamento de dados pessoais sejam realizadas de acordo com a legislação.

“Lançamos essa solução com objetivo de habilitar e transformar ainda mais a digitalização das instituições médicas, com toda a segurança”, diz o executivo, lembrando ainda que a integração dos prontuários é um passo importante para otimizar práticas de Telemedicina, facilitando o acesso às informações dos pacientes atendidos a distância.

Outra lacuna importante do segmento é a gestão preventiva da saúde pública. Com um fluxo mais otimizado de informações, é possível realizar alertas e disponibilizar indicadores sobre o aumento de pessoas doentes e tipos de enfermidades, auxiliando na previsão e criação de estratégias que evitem surtos e epidemias.

Além de trazer uma visão integrada das informações, a solução traz economias, diz a empresa. Há redução de custos com a diminuição de pedidos de exames e tratamentos duplicados, melhora da jornada do paciente e redução no tempo para o desfecho clínico, uma vez que há mais previsibilidade nas ações. (Com assessoria de imprensa)

PUBLICIDADE
Anterior Mercado secundário é a solução para otimizar o uso do espectro, defende a Neo
Próximos Hispasat e Nagra preparam serviço de TV OTT por atacado