Embratel e AgrusData vão criar juntas soluções em agronegócio


Eduardo Polidoro, da Embratel, e Herlon Oliveira, CEO da AgrusData

A Embratel e a AgrusData firmaram ontem, 26, uma parceria que prevê a colaboração no desenvolvimento e venda de soluções de conectividade para o agronegócio. Pelo acordo, a Embratel vai integrar os produtos criados pela AgrusData, mas as empresas também vão construir novas plataformas que usem os acessos IoT da Embratel no campo, no futuro.

A intenção é criar soluções que usem inteligência artificial, sensores, armazenamento em nuvem, aprendizado de máquina, conectividade e painéis de controle.

Imediatamente, o contrato prevê a inclusão de dois produtos criados pela AgrusData ao portfólio de integração de soluções para o campo da Embratel, e um terceiro que está sendo criado pelas duas empresas conjuntamente:

PUBLICIDADE

— Plataforma Agricultura Digital: será hospedada em data center da Embratel. O produto usa sensores no campo para a coleta dados relevantes como umidade do solo e do ar, temperatura e outras informações meteorológicas. As informações são tratadas e analisadas, ajudando no controle das plantações e no diagnóstico de medidas corretas sobre irrigação e pulverização, por exemplo.

— Plataforma de Silos Conectados: possibilita saber, em tempo real, qual o volume de grãos estocado em cada silo. A solução, também hospedada em nuvem, é uma inovação no mercado de armazenamento de grãos, hoje dependente do controle manual, com profissionais subindo até o topo dos silos para efetuar a análise. A nova plataforma fornece mais segurança a esse ambiente, automatizando o controle e impedindo que colaboradores sejam colocados em risco ao subirem dezenas de metros para analisar o armazenamento.

— Floresta Conectada: desenvolvimento conjunto de ambas as empresas, trata-se de plataforma focada no cultivo de florestas por meio do manejo agrícola para produzir madeiras e outros derivados, também passa a ter disponível uma solução conectada. Possibilita a gestão automatizada de ativos e o acompanhamento em tempo real da floresta, por meio de algoritmos, gerando redução de custos operacionais com a análise de dados coletados nas máquinas e plantações, e armazenados em nuvem. A solução possibilita, por exemplo, o controle de uso de combustível em máquinas de colheita harvester (equipamento usado para corte da árvore, derrubada, desgalhamento, descascamento, traçamento e formação de pilhas de toras) e forwarder (máquina usada para remoção e transporte das toras).

As novas plataformas reforçam os investimentos da Embratel no segmento de Internet das Coisas, que envolvem também novas redes NB-IoT. A Embratel investe para levar infraestrutura a regiões mais remotas, como os campos de cultivo e florestas, por meio de instalações de estação radiobase e soluções como Banda Larga via satélite.

“Com a parceria, ampliamos nossa atuação no segmento de agronegócio, com soluções conectadas para levar a transformação digital ao campo”, afirma Eduardo Polidoro, diretor de negócios de IoT da Embratel. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Pesquisa aponta redução da participação das mulheres no mercado de TI
Próximos Anatel abre consulta propondo destinar Banda L ao serviço móvel