Em fase de concentração, maior desafio será de unificar redes, diz Mob


Provedor com sede no Ceará, a Mob Telecom reconhece a força do mercado de Gaming e patrocina uma equipe de Free Fire, da segundo divisão, o Mob e-Sport há 10 anos. ”Esse apoio dado ao mundo digital, não só aos gamers, mas a artistas, fortalece nossa marca”, disse o diretor Comercial, de Marketing e Atendimento da empresa, Sayde Bayde.

“A Mob acredita muito nesse mercado inovador”, afirmou Bayde, em sua participação na mesa redonda que discutiu o mercado de games, na INOVAtic 2020, realizada nesta sexta-feira, 27. Ele acredita que nos próximos anos, toda a cadeia de telecom vai olhar para esse mundo dos games e ver que é um potencial para agregar valor as suas marcas.

PUBLICIDADE

Estratégia para 2021

Com crescimento diário de 8 mil acessos por dia em sua rede de varejo, nos 14 estados onde atua, a Mob tem muitos planos de crescimento pela frente. Para 2021, a empresa, que recentemente teve o controle comprado pelo fundo EB Capital, estabeleceu três focos: o crescimento orgânico; o inorgânico, por meio de aquisição de ISPs com a mesma sinergia, e a manutenção do que hoje tem de clientes no mercado B2B, empresas, governo, provedores e grandes operadoras, que antes era o principal foco da empresa.

Quanto à participação no leilão do 5G, Bayde disse que há interesse da empresa e que foi criado um grupo de trabalho para estudar as condições, porque quer ampliar a oferta de serviços a seus clientes.

“Nos próximos anos, as operadoras de telecomunicações vão enfrentar um grande desafio que é a unificação de rede, provocada por um mercado tão aquecido”, avalia Bayde. Ele acredita que essa consolidação vai fazer as operadoras a serem mais criativas para dar conta do desafio, visando também a qualidade das redes, especialmente para os gamers.

PTT

O gerente de Projetos e Desenvolvimento, do Centro de Estudos e Pesquisas em Tecnologia de Redes e Operações (CEPTRO.br), Antonio Moreiras, disse que os PTTs mantidos pelo NIC.br, os IX.br, ainda são mais demandados pelos vídeos, que consomem até 80% do tráfego. “Gamers podem ser grandes consumidores de banda, especialmente quando tem update, mas tem um outro fator de maior interesse desse mercado, que é a latência”, disse.

Segundo ele, hoje no IX.br de São Paulo, várias CDNs, várias empresas especializadas em games estão presentes, como a Amazon, Garena, Microsoft, a Sony. Ou seja, há uma estrutura significativa de servidores de games e que estão conectados naquele PTT.“Seria interessante ter uma distribuição maior, com o tempo, especialmente para Fortaleza, aonde chega um número maior de cabos submarinos”, disse Moreiras.

Ele afirmou que, durante a quarentena, apesar da explosão de consumo de tráfego, não houve gargalos na rede. “O PTT de São Paulo, durante esse período de quarentena, passou a ser o maior do mundo, com picos de tráfego da ordem de 10 Tbps”, disse. A capacidade instalada é de 30, 35 Tbps, adequada para atender essa demanda.

Moreiras disse que no mercado de games há ainda uma baixa adesão ao IPv6, e os fabricantes devem se esforçar mais para lançar produtos com esse novo endereçamento.

A INOVAtic 2020 é uma promoção do Tele.Síntese em parceria com o PontoISP.

 

Anterior Angola Cables lança novo produto voltado para gamers
Próximos Consumidor.gov também no 5X5 Tec Summit