Edtechs na matemática dos investidores


Jânyo Diniz – Presidente do Ser Educacional Crédito: Divulgação

O mercado de edtechs está em ebulição. No Brasil, já são 566 edtechs, 26% a mais do que há dois anos, segundo estudo realizado pela Abstartups e pelo Centro de Inovação para a Educação Brasileira (Cieb).

PUBLICIDADE

O avanço acompanha o crescente interesse dos investidores no setor educacional brasileiro, cujo desempenho tecnológico foi posto à prova durante a pandemia do coronavírus. Um dado que reforça essa efervescência do setor é o montante de investimentos feitos nas edtechs brasileiras entre janeiro e maio de 2021, que somou US$ 380 milhões, segundo dados da plataforma de inovação aberta Distrito.

A Ser Educacional, um dos maiores grupos privados de educação do Brasil, com 60 unidades presenciais e líder nas regiões Nordeste e Norte que acaba de adquirir a Faculdade Educacional da Lapa (Fael) por R$ 280 milhões, em sua sexta aquisição em pouco mais de um ano, quer dobrar a aposta em educação a distância e investir em edtechs, segundo Jânyo Diniz, presidente do grupo.

Leia a reportagem completa no Digital Money Inform

Anterior Campanha incentiva instalação do Simet em escolas públicas
Próximos Persiste imbróglio envolvendo trabalhadores, Vikstar e Vivo