EDS, broker de nuvem para o governo, compra a integradora O3S


Crédito: Freepik
Transação integra uma sequência de aquisições da EDS (Crédito: Freepik)

A EDS (Extreme Digital Solutions), comprou a integradora de serviços de nuvem O3S. O negócio foi fechado há cerca de um mês. Pouco conhecida do público em geral, a EDS é a fornecedora de nuvem do governo federal, vencedora na última licitação realizada.

O valor da aquisição não foi revelado. A empresa tem um plano ousado de crescimento no longo prazo, a partir de aquisições, indo em busca de startups. Nos últimos 12 meses, a empresa concluiu três processos de M&As, consolidando a sua estratégia de crescimento inorgânico.

No fim de 2020, anunciou a aquisição da Gr1d, uma plataforma aberta de inovação, que disponibiliza um Marketplace de APIs para empresas evoluírem seus negócios, com foco profundo nos conceitos de open finance e open insurance. Negócio este aprovado em abril pelo Cade.

No início de 2021, finalizou a aquisição da Beyond, empresa com sede em Recife-PE, que oferece o desenvolvimento ágil de produtos e soluções nativas em nuvem, com foco em educação e soluções jurídicas. Agora foi a vez da O3S, com foco em soluções Multinuvem.

A EDS cresceu 19% em receita em 2020, e está hoje entra as 10 maiores integradoras do Brasil. No início desse ano, a empresa assinou o contrato para se tornar o broker de nuvem pública do Governo Federal (Ministério da Economia), no valor de R$ 65,9 milhões, utilizando a tecnologia de três dos cinco maiores provedores mundiais de Cloud Computing (Amazon AWS, Huawei e Google). Com isso, a receita da empresa deve passar dos R$ 200 milhões neste ano.

A O3S vende soluções de orquestração, automação e governança multinuvem. A startup iniciou suas operações há pouco menos de 2 anos e implantou projetos multinuvem para grandes empresas de telecomunicações e no setor público.

Com 15 grandes clientes já em operação nos setores privado e público, dentre os quais instituições financeiras, de telecomunicações, datacenters e redes varejistas no Brasil, México, El Salvador e Argentina, a O3S prevê superar a marca de R$ 5 milhões em receita este ano e triplicar o valor em 2022.

A O3S, assim como as demais empresas investidas da EDS, permanecem como empresas independentes, contando com os aportes/investimentos para ampliar atuação e também com suporte corporativo.

“Vimos na Extreme Digital a estrutura ideal para crescermos, onde podemos continuar focando em inovação e agilidade, mantendo características importantes de uma startup, mas ao mesmo tempo contando com escalabilidade, robustez e serviços compartilhados de um time de mais de 600 pessoas do Grupo Extreme. Parte do nosso ecossistema de soluções se une a EDS, tais como nossas parcerias e know-how em nuvens públicas e privadas, como AWS, Huawei, Google e Azure, mas as soluções multinuvem que são nossa especialidade, como Morpheus, Rancher, Suse, Trilio, GitLab, HashiCorp e outras permanecem sendo conduzidas com autonomia pela O3S”, comenta Jônatas Mattes, fundador da O3S.

Mattes assume a posição de Diretor da Business Unit de Cloud Services da EDS, permanecendo no conselho de administração da O3S.

PUBLICIDADE
Anterior Faria diz que é a "última chance" de privatizar os Correios
Próximos TIM também lança banda larga fixa de 1 Gbps