Edital prevê R$ 190 milhões para criação de lançador brasileiro de foguetes


Proposta de Finep, MCTI e AEB é subvencionar o desenvolvimento de veículo lançador de foguetes de tecnologia local. Finep também anunciou edital de financiamento a fundo perdido para desenvolvedores da inteligência artificial para o poder público.

A Finep Inovação e Pesquisa, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e a Agência Espacial Brasileira (AEB) publicaram esta semana edital para financiar o desenvolvimento de um lançador de pequeno porte brasileiro de foguetes capaz de colocar no espaço nano ou microssatélites.

PUBLICIDADE

O edital prevê aporte de R$ 190 milhões, em recursos de subvenção econômica à inovação, para apoio ao desenvolvimento de veículos de pequeno porte para lançamento de nano ou microssatélites.

Empresas de todos os tamanhos, e de qualquer região do Brasil, poderão enviar propostas a partir de hoje até 26 de setembro. Serão aceitas propostas com a participação de, no mínimo, quatro empresas, além de parceria com ICTs.

A expectativa é que sejam desenvolvidos, ao menos, dois protótipos de veículos com capacidade de lançamento de, no mínimo, cinco quilos de carga-útil na órbita equatorial, com a realização das operações de lançamento a partir do território nacional. Hoje, apenas 13 países no mundo dominam essa tecnologia.

Dinheiro para a inteligência artificial

A Finep, o MCTI), o Ministério da Economia e a Escola Nacional de Administração Pública (Enap) também apresentaram chamada pública “Soluções de IA Poder Público – Rodada 1”, com a disponibilidade de R$ 36 milhões para apoiar 12 desafios tecnológicos de três entidades públicas: Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

As propostas devem ser submetidas por startups, e serão apoiados os melhores projetos apresentados para cada desafio tecnológico, tendo como requisito a geração de impactos positivos sobre a qualidade e o custo dos serviços públicos prestados. Os recursos de subvenção econômica (não reembolsáveis) são do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). As propostas em que haja a participação de Institutos de Ciência e Tecnologias como parceiros poderão ser mais bem avaliadas.

Como exemplos de alguns dos desafios tecnológicos a serem apoiados, podem ser citados:

– Pela ANS : Uso de IA para análise de reclamação digital de clientes de operadoras de saúde. Problema: Mais de 70 mil documentos de respostas a reclamações de usuários foram preparados por 50 analistas no ano de 2021. Resultado esperado: Atingir 75% das reclamações avaliadas por meio de análises automáticas;

– Pela Anvisa: IA para avaliação de autorizações de funcionamento de empresas. Problema: Mais de 30 mil solicitações de autorização de funcionamento de empresas são realizadas por ano e precisam ser analisadas. Resultado esperado: Redução de pelo menos 75% do tempo médio de conclusão dos pedidos;

– Pelo Mapa: Uso de IA para análise de dados e documentos de certificação de pescadores. Problema: O trabalho de certificação dos produtos da pesca exige grande trabalho operacional e consulta a grande conjunto de bases. Resultados esperados: redução do tempo de análise em 99%; automação do processo de emissão do Certificado de Acreditação de Origem Legal (CAOL) em 90%.

O valor solicitado em cada proposta varia conforme o desafio tecnológico, sendo que o valor máximo por projeto é de R$ 3,6 milhões. Será exigida contrapartida financeira das startups, sendo o mínimo de 1% do valor pleiteado.

As inscrições poderão ser realizadas até o dia 12 de setembro. O resultado final será divulgado no dia 9 de dezembro.

Rodada 2 – Ainda em agosto de 2022, será aberta outra chamada para selecionar desafios tecnológicos que comporão a segunda rodada. Poderão participar entidades públicas federais que tenham desafios tecnológicos passíveis de serem solucionados por meio de IA. Os desafios selecionados no segundo semestre de 2022 aceitarão propostas a partir de dezembro deste ano. (Com assessoria de imprensa)

PUBLICIDADE
Anterior PL para Política Nacional de Educação Digital fortalece parceria com empresas
Próximos Esteira logística em três continentes garante pronta-entrega à Agora