Edital do leilão da 5G deve prever solução ao impasse com TVRO


O edital do leilão da 5G deverá prever a solução a ser adotada para resolver o impasse da interferência da nova tecnologia nas antenas parabólicas residenciais (TVRO), de acordo com o voto apresentado hoje, 17, pelo conselheiro Vicente Aquino, relator da consulta pública do leilão da 5G no Conselho Diretor da Anatel.

PUBLICIDADE

“Tem que haver previsão editalícia, ainda que  não tenhamos a solução “, afirmou Aquino, ao detalhar a proposta do edital. Disse acreditar que até a edição do leilão deverá ser  definida a melhor alternativa técnica para solucionar o problema da interferência.

Ele afirmou que o edital deverá contemplar a política pública a ser formulada pelo Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Itens do voto

Ainda segundo o voto do relator, a consulta pública deverá conter três  propostas: o edital de licitação para autorização de uso de frequências nas faixas 700MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz; alteração do Plano Geral de  Autorizações do Serviço Móvel Pessoal e previsăo futura para novas ondas milimétricas.

O edital conterá também  lista de localidades e municípios elegíveis para os compromissos afetos às faixas de 700 MHz; 2,3 GHz e 3,5 GHz, onde não há atualmente a estrutura referente ao respectivo serviço. E haverá ainda estudo preliminar de precificação do objeto e compromisso do edital de licitação concernente às faixas de 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz.

O relator prevê enviar ao MCTIC solicitação de submissão do leilão da 5G para qualificação no âmbito do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI), da Presidência da República,  incluindo registro de intenção da Anatel de “ampla divulgação” a respeito do leilão no exterior.

Anterior Intel compra tecnologia de computação de borda de olho na 5G
Próximos Presidente da Anatel vai a Belo Horizonte e Belém por nova lei de antenas