Edital do laptop exige rede Mesh


Os requisitos técnicos dos 150 mil laptops educacionais que o MEC vai escolher no dia 18, para atender a 300 escolas, incluem a rede Mesh. O dispositivo wireless, segundo o edital divulgado hoje no portal Comprasnet, deve incluir “controladora de rede sem-fio integrada ao equipamento, não sendo aceitos adaptadores externos” e  “suporte a rede ad-hoc …

Os requisitos técnicos dos 150 mil laptops educacionais que o MEC vai escolher no dia 18, para atender a 300 escolas, incluem a rede Mesh. O dispositivo wireless, segundo o edital divulgado hoje no portal Comprasnet, deve incluir “controladora de rede sem-fio integrada ao equipamento, não sendo aceitos adaptadores externos” e  “suporte a rede ad-hoc de múltiplos saltos, conhecida como rede em malha (mesh network), na qual cada equipamento (laptop) funcione como um roteador, encaminhando os quadros de outros equipamentos semelhantes até o destino final, que pode ser outro laptop (que não está ao alcance direto do equipamento de origem) ou outro destino qualquer na internet. Eventuais falhas de rotas devem ser tratadas dinamicamente, permitindo que novas rotas sejam automaticamente encontradas, se existirem”.

A tecnologia da rede Mesh deve ser compatível com os padrões 802.11 b/g. E os laptops precisam ser capazes de “exercer as funções de ponto de acesso (AP), integrando os laptops da escola entre si e com a internet, concomitantemente”. Além, é claro, de possuir certificação Anatel.

O laptop não pode pesar mais do que 1,5 kg, com  consumo máximo de energia de até 15 watts. Precisa oferecer recursos multimídia integrados (câmera de vídeo e fotográfica, microfone, saída de áudio, recursos gráficos), com, no mínimo, barramento de 32 bits, memória RAM de 256 Mb, padrão DDR 333 MHz ou equivalente; duas portas USB 2.0. A tela de cristal líquido deve ter, pelo menos, sete polegadas. E o teclado (ABNT-2) precisa de proteção contra derramento de líquidos. A unidade de armazenamento de dados deve see tipo Nand Flash, com capacidade mínima de 1 Gb.

PUBLICIDADE

Um sistema de segurança deve permitir, por hardware, o bloqueio do equipamento, em caso de extravio, e também fazer como que ele possa ficar fora da rede lógica da escola por um tempo determinado, configurável. Essa solução deve contemplar, ainda, o serviço de gerenciamento, que permanecerá instalado no servidor da escola (onde será feita, com exclusividade, a autenticação do equipamento, e a sincronização dos dados). As informações trafegadas entre os laptops e o servidor da escola precisarão ser criptografadas.

O software do servidor, além de cadastramento e gerenciamento de usuários e grupos e perfis, vai oferecer filtro de conteúdo de páginas da internet, com possibilidade de bloqueio de acesso. Os aplicativos disponíveis incluem processador de textos com suporte ao formato ODT; planilha eletrônica; edição e visualização de imagens; navegação web, além da reprodução áudio e vídeo em tempo real; chat; Logo e Squeak (linguagens de desenvolvimento com fins educacionais); jogos (xadrez, palavras cruzadas, etc); exibição de vídeos; reprodução de arquivos de sons pelo menos no formato ogg; gravação de sons; leitura de arquivos PDF. De acordo com o edital, o contrato prevê, além do fornecimento dos equipamentos, assistência técnica para hardware e software, durante o período da garantia – 36 meses.

Anterior Projeto que uniformiza regras para instalação das antenas de celular é aprovado na Câmara
Próximos Governo apóia cotas, com teles na produção.