PORTAL DE TELECOM, INTERNET E TIC

Notícias DMI

Economia brasileira tem forte retração em maio, indica BC

Banco Central (BC) divulgou hoje, 17, o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) apontou retração da economia de 2% em maio em relação a abril
Economia brasileira tem forte retração em maio. Crédito-Freepik
Crédito: Freepik

O Banco Central (BC) divulgou hoje, 17, o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), que traz uma prévia do comportamento do PIB, e esse índice apontou retração da economia de 2% em maio em relação a abril, queda bem mais acentuada do que as projeções do mercado. Em abril, o IBC-Br, a prévia do PIB (Produto Interno Bruto) tinha indicado um crescimento de 0,56% na economia.

O resultado foi calculado após ajuste sazonal. Conforme economistas da XP, por exemplo, esse resultado se mostrou muito abaixo das expectativas para maio de retração da economia (XP e consenso de mercado apontavam para -0,1%). O indicador subiu 2,1% na comparação com o mesmo mês de 2022. De particular importância, o efeito de carrego (carry-over) estatístico para o 2º trimestre mostra elevação de 0,25% versus o 1º trimestre, muito aquém dos 1,3% registrados na publicação de abril. “Já suspeitávamos que poderia ocorrer um “ajuste” significativo na série de dados do IBC-Br, aproximando-o das estimativas para o PIB do 2º trimestre”, disse o economista do banco, Rodolfo Margato.

Acumulado

  • Na comparação com maio do ano passado, informou o Banco Central, o indicador do nível de atividade registrou crescimento de 2,15%.
  • No acumulado dos cinco primeiros meses deste ano, o IBC-Br avançou 3,61% e, em doze meses até abril, apresentou crescimento de 3,43%. Nesse caso, o índice foi calculado sem ajuste sazonal.

O IBC-Br é uma das ferramentas usadas pelo BC para definir a taxa básica de juros do país. Com o menor crescimento da economia, por exemplo, teoricamente haveria menos pressão inflacionária.

Em junho, a taxa foi mantida em 13,75% ao ano, o maior nível em seis anos e meio, para tentar conter a alta de preços.

PIB do ano deve aumentar

Apesar da atividade econômica mais fraca que se desenha para o segundo trimestre, entre abril e junho, economistas têm elevado sua projeção de crescimento do PIB brasileiro no ano. Segundo o boletim Focus, divulgado hoje, 17, pelo BC a expectativa do  mercado é que o PIB atinja 2,24% de crescimento até o final deste ano, contra projeção de 2,19% da semana anterior.

Para 2024, a previsão de crescimento da economia brasileira também foi elevada de 1,28% para 1,30%. Para 2025, subiu de 1,80% para 1,88%. As projeções de agentes do mercado ouvidos no boletim Focus foram calculadas antes dos últimos dados do IBC-Br.

 

TEMAS RELACIONADOS

ARTIGOS SUGERIDOS