Dívida de teles com Procon-SP pode chegar a R$ 381 milhões


A dívida das principais operadoras de telecomunicações do país com a Fundação Procon de São Paulo é maior do que o divulgado pela instituição há menos de um mês. Segundo dados expostos ontem no portal da transparência da autarquia, os valores autuados passam de R$ 381 milhões.

Os números dizem respeito a processos que ainda estão em antamento, que podem ser contestados pelas empresas e, portanto, ter os valores alterados, mas há também uma parcela, não revelada, de débitos já inscritos na dívida do estado e que aguardam pagamento.

PUBLICIDADE

Os dados mostram que a Telefônica Vivo tem uma dívida de R$ 182,6 milhões. O grupo Claro (Claro, Net e Embratel) registra débito de R$ 99,94 milhões. A Oi deve R$ 39,9 milhões; a TIM, R$ 37,3 milhões; a GVT, R$ 9,94 milhões; a Sky, R$ 6,87 milhões; e Nextel, R$ 4,5 milhões. A Fundação Procon não detalha quanto efetivamente as operadoras já estão obrigadas as pagar.

No caso da Telefônica Vivo, a maior parcela da dívida está nas mãos da concessionária Telefônica Brasil: R$ 143,6 milhões. A unidade de telefonia móvel, Vivo,soma R$ 35,5 milhões em autuações. A composição do saldo da Claro mostra dívida de R$ 35,4 milhões da Embratel, R$ 35 milhões da Claro, e R$ 17 milhões da Net. A diferença entre o valor principal se divide entre outras subsidiárias das companhias.

Além das teles, a lista de empresas autuadas aponta gigantes do varejo, setor bancário, aéreo e de tecnologia – como Microsoft, Samsung e Nokia.

PUBLICIDADE
Anterior Programa Amazônia Conectada entra em nova fase
Próximos Consórcio encabeçado por Google lança padrão para IoT