Diveo quer expandir segmento de aplicações


A Diveo, empresa provedora de serviços de conectividade, hospedagem dedicada e compartilhada, e data center, quer manter nos próximos anos o ritmo de 30% de expansão em seu faturamento, registrado desde 2005. Para isso, mira o segmento de terceirização de aplicações como uma das principais oportunidades de conquistar clientes e aumentar receitas. No início de …

A Diveo, empresa provedora de serviços de conectividade, hospedagem dedicada e compartilhada, e data center, quer manter nos próximos anos o ritmo de 30% de expansão em seu faturamento, registrado desde 2005. Para isso, mira o segmento de terceirização de aplicações como uma das principais oportunidades de conquistar clientes e aumentar receitas. No início de 2008 a empresa começará a duplicar sua área disponível, para acomodar um crescimento projetado de 25% no número de clientes, sobre os atuais 1,8 mil. A maior parte dos clientes, 21%, está no setor financeiro, mas há empresas de todos os setores, principalmente serviços, 16%, comércio, 13% e indústria, com 10%.

PUBLICIDADE

Em julho deste ano a empresa fechou uma parceria com a Microsoft, para oferecer serviços de outsourcing de aplicações. O Diveo Exchange é baseado na plataforma Microsoft Exchange Server, que unifica mensagens e mobilidade, integrando email, correio de voz e fax em uma caixa de entrada única, acessível de qualquer lugar. “Essa é a primeira parceria da Diveo em terceirização de aplicações, e ainda representa pouco em nossas receitas, mas queremos que, dentro de dois ou três anos, esse segmento responda por 30% de nosso faturamento”, afirmou Marco Américo Antônio, vice-presidente de vendas de data center.

Américo avalia que há uma clara tendência de adesão do mercado corporativo ao outsourcing de TI (Tecnologia da Informação), e maior valorização do segmento de terceirização de aplicações, que “é mais rentável para os clientes e para nós”. O executivo citou como vantagens para a empresa contratante a possibilidade de utilização do backbone próprio da Diveo, além de segurança adicional contra invasões e backup do conteúdo das caixas postais. “No início enfrentamos por parte dos executivos de TI uma certa resistência em terceirizar suas aplicações, mas conseguimos demonstrar que há redução de custos e ganhos de escala para o cliente, que investe de acordo com seu crescimento”, conclui Américo.

Anterior Só falta o teste de software para a licitação de telecentros se confirmar
Próximos Convergência, colisão ou política de governo?