Diretor da Abin diz que rede privativa do governo pode ser feita por qualquer empresa


Alexandre Ramagem, diretor geral da Abin – Foto: TV Câmara

Durante audiência na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, nesta quarta, 7, Alexandre Ramagem, diretor-geral da Abin, disse que a rede privativa de 5G do governo pode ser feita por qualquer empresa.

O assunto veio à tona quando ele foi questionado sobre isso pela deputada Perpétua Almeida (PCdoB – AC). A parlamentar perguntou se não estão fazendo algo nos bastidores para retirar a Huawei da jogada.

PUBLICIDADE

“Nós temos, de forma constitucional, a livre concorrência, diferente de outros países que escolhem quem deve e pode participar. Queremos trazer todas as empresas, desde que elas demonstrem que há segurança e interoperabilidade com outras tecnologias”, falou Ramagem, no plenário.

Ele se referiu à criação de uma rede privativa da nova tecnologia como algo normal, “que está acontecendo também em outros países, e cada um está fazendo de uma forma”. Ao final, o diretor da Abin disse que o projeto relativo à rede privativa é, no entanto, “uma questão ainda em construção”.

Anterior Segurança digital aproxima Minas Gerais da França
Próximos Anatel lança plataforma para acompanhamento dos resultados de ações contra pirataria