Dilma diz que opinião de Bernardo sobre Telefónica/TIM não é posição de governo


Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (25) , em Nova Iorque, a presidente Dilma Rousseff disse que não vai se manifestar sobre a operação entre a Telefónica e a Telecom Italia. “Houve uma opinião do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, mas não é uma posição do governo”, afirmou. Ontem, o ministro havia declarado que a operação sofreria restrições porque poderia provocar a fusão da Vivo com a TIM, o que aumentaria muito a participação de mercado na operadora espanhola.

 

Dilma disse que a Anatel também falou o mesmo que o ministro, de que a TIM teria que ser vendida, caso a ampliação do controle da Telefónica sobra a operadora italiana se confirmasse. “Quem tem que se pronunciar sobre essa questão é o Cade [Conselho Administrativo de Defesa Econômica]”, ressaltou.

 

Em Nova Iorque, a presidente do Brasil manteve encontro com dirigentes da Telefônica. “Era um encontro que deveria ter acontecido no Brasil e foi remarcada para cá”, explicou. Ela disse que a conversa se deu em torno dos vários investimentos que a operadora está fazendo no país. (Da redação).

PUBLICIDADE



Anterior Reforço à privacidade na internet entra no Marco Civil, reitera Molon.
Próximos Dilma insiste na guarda de dados de brasileiros no país