Detran do ES audita habilitação com analytics do SAS


Segundo o diretor-geral, Givaldo Vieira, 90% dos processos na área de habilitação são auditados pela inteligência analítica, que extrai o texto dos documentos digitalizados e verifica a foto sem precisar de intervenção humana

Em um processo que alterou completamente sua maneira de operar, o Detran do Espírito Santo trocou o papel pelo digital, automatizou diversos processos e agilizou o tempo de execução de serviços. Ao participar de Talk Show durante o evento 5×5 TEC Summit, nesta segunda-feira 7/12, Givaldo Vieira, diretor-geral do Detran-ES, e Marcelo Laranjeira, gerente de negócios para o setor público do SAS Brasil, detalharam o projeto que conferiu ao Detran-ES maior eficiência em sua gestão operacional, redução dos casos de fraudes e proporcionou um melhor atendimento ao público por meio da adição de tecnologia de inteligência analítica na execução de seus processos.

“Quando chegamos ao Detran do Espírito Santo, em fevereiro de 2019, e encontrei uma instituição que caminhava para completar 50 anos, mas que vivia em oceano de papel. Isso fazia os processos serem morosos, difíceis de controlar. Começamos um processo intenso para mudar este ambiente e passamos a viver em mundo digital”, relatou Vieira.

PUBLICIDADE

Depois de migrar do papel para o digital, o passo seguinte foi a incorporação da inteligência analítica. Hoje, segundo o diretor-geral da instituição, 90% dos processos na área de habilitação são auditados pela inteligência analítica, que extrai o texto dos documentos digitalizados e verifica a foto sem precisar de intervenção humana. O Detran-ES também está automatizando o processo de veículos. Atualmente, relatou Vieira, já é possível emplacar a partir da chave da nota fiscal do veículo e há uma evolução dentro do processo de transferência de carros usados.

Com relação a Carteira Nacional de Habilitação, Givaldo Vieira lembrou que a CNH não foi pensada para ser documento de identificação, mas acabou se tornando — e esse fato dá um peso ainda maior ao documento emitido pelo Departamento de Trânsito. “Sofremos tentativas de fraude, por exemplo, com pessoas trazendo documentos falsos de identidade para tentar sair do Detran com CNH com dados falsos, mas estampa verdadeira e hoje este tipo de procedimento não passa no Detran”, contou. Há ainda tentativas de “esquentar” veículos que o carro roubado possa circular com documento.

A meta com a adoção de solução de inteligência é tornar o Detran-ES uma referência nacional no combate às fraudes. ” Em um Estado, com 4 milhões de habitantes, temos dados de 1,5 milhão de condutores e 2 milhões de veículos temos que usar a inteligência analítica para assegurar o bom uso dessas informações”, detalhou. Outro uso da tecnologia é a medição de passagens de veículos para melhorar a segurança pública e o trânsito, fazendo o planejamento da mobilidade com base em dados.

Do lado do SAS, o gerente de negócios para o setor público do SAS Brasil, Marcelo Laranjeira, acrescentou que outros Detrans estão procurando a companhia para levar a cabo projetos semelhantes. “O SAS processa Coaf e toda parte da Lava Jato; também estamos apoiando toda parte do Pix e processamento de pagamentos na Caixa e o Dataprev no pagamento do auxílio emergencial”, disse. Ele enxerga que o Brasil vive um momento oportuno para usar dados como forma de transformação da organização pública. “Estamos dentro de três grandes projetos que transformam o Brasil.”

Amanhã, dia 08, é dia de discutir Saúde Digital mo 5X5 Tec Summit. No dia 09, será a vez do setor de energia. No dia 10, o debate é sobre tecnologia e finanças. O evento acaba no dia 11 de dezembro, com um debate sobre tecnologia e entretenimento. Inscrevam-se!

Anterior Patrocinado pelo Instituto TIM, projeto de alunos brasileiros é levado ao espaço
Próximos Abes defende unificação das leis de licitação