Deputados apontam risco à soberania e cobram detalhes do acordo com a Starlink


Encontro de Bolsonaro com Musk repercutiu na oposição
A constelação de satélite de Elon Musk, cobra mensalidade de R$ 530 para o acesso. Crédito: Tele.Sintese

O encontro entre Jair Bolsonaro, Fabio Faria e Elon Musk repercutiu negativamente entre parlamentares de oposição nesta sexta-feira, 20. Pelas redes sociais, vários deputados manifestaram desconfiança quanto aos motivos da vinda do bilionário ao Brasil e reclamaram da falta de detalhes sobre o acordo que permitirá a cobertura da Starlink sobre a Amazônia.

A deputada Perpétua Almeida (PCdoB), da comissão da Câmara que acompanha a instalação da tecnologia 5G no Brasil, criticou a falta de informação sobre contrapartidas para o acordo de cobertura na Amazônia.

PUBLICIDADE

“As parcerias, especialmente as tecnológicas, são bem-vindas desde que sejam uma via de mão dupla, com transferência de tecnologia e reforçando nossos programas já existentes. Mas normalmente o objetivo do Musk é comercial. Quer abocanhar esse gigantesco mercado que é o Brasil, com grande déficit de regulação, e, óbvio, às custas de subsídio com dinheiro público”, afirmou em sua conta no Twitter.

Ela questionou ainda se as forças nacionais de segurança estão a par do acordo. “Fico curiosa para saber a opinião do Ministro da Defesa e a da Força Aérea Brasileira em especial sobre o Programa Espacial Brasileiro que está à míngua”, acrescentou.

Programa espacial à deriva

Para ela, o governo deve trabalhar em parcerias para fomentar a indústria espacial do Brasil, que deveria também pensar em ter uma constelação própria de satélites de baixa órbita.

“Por que os recursos para bancar este acordo com Musk não são direcionados para o nosso Projeto Espacial Brasileiro? Inclusive, com parcerias, mas sem entreguismo. Temos urgência em construir nossa própria constelação de satélites, com objetivo e domínio soberano do espaço, em esferas estratégicas e sensíveis para o desenvolvimento da nação. Portanto, considero um grande erro abrir o mercado a Musk e manter à míngua o nosso Programa Espacial Brasileiro”, disse.

E arremata: “A Política Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais traça os objetivos e diretrizes que devem nortear as ações do governo brasileiro voltadas a esse setor. Pergunto: Ela está sendo considerada?”. Procurada pelo Tele.Síntese, a deputada disse também que analisa questionar o governo sobre o acordo via Comissão 5G e via Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, na Câmara dos Deputados.

Quem encontrou quem?

Os deputados teceram também críticas à forma como se deu o encontro com o bilionário dono da Starlink. Outro parlamentar contrário à reunião fora da agenda oficial foi o deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP). “Dentro do seu próprio país, o presidente foi quem pediu agenda e foi até o visitante estrangeiro. Bolsonaro esmolou um encontro com Elon Musk. Vergonha alheia. É inacreditável, mas é real”, disse na rede social.

Augusto de Arruda Botelho, pré-candidato a deputado federal disse “Bolsonaro vai até o hotel em que Elon Musk está hospedado para se reunirem. Não deveria ser o contrário? Já sei, os voos para Brasília estão muito caros e o Musk está com dificuldades financeiras”.

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) ironizou: “Bolsonaro tem destruído a Amazônia e está reunido com um bilionário para tratar da preservação da região. Quem acredita?”

A deputada federal Luíza Erundina (Psol-SP) falou: “chega ao Brasil o bilionário Elon Musk. Por que quer discutir com Bolsonaro sobre a Amazônia? Porque Musk é o homem mais rico do mundo e se acha o dono da coisa toda, e Bolsonaro porque é o presidente mais subserviente e entreguista da nossa história”.

O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) também se posicionou em relação ao encontro. “Elon Musk, bilionário americano, líder da extrema direita americana, comprador do Twitter vem ao Brasil para conversar com o Bozo. A extrema direita americana interferindo nas eleições brasileiras”.

O deputado federal Ivan Valente (Psol-SP) twittou: “ao invés de Elon Musk ir até Bolsonaro, é ele que vai ao hotel onde o bilionário está hospedado. Qualquer chefe de uma nação importante faria o contrário, não quando temos um presidente vira-lata (com todo respeito aos vira-latas)”

A base de apoio também correu para o Twitter para elogiar o encontro e justificar o encontro de Bolsonaro, e distribuir memes e montagens do presidente comendo pastel com Musk, vestidos de Power Rangers, comendo pão com leite condensado.

PUBLICIDADE
Anterior AGROtic 2022 | EDUARDO POLIDORO - Diretor de IoT da Claro
Próximos Ancine quer ampliar financiamentos para o setor de audiovisual