Depois da “Internet das Coisas” virá o “Você das Coisas”


Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

“Em dez anos não existirá smartphones. Podemos esperar um mundo repleto de tecnologias, como câmeras com reconhecimento facial espalhadas pelas ruas, tecnologias que removem os estímulos visuais e sonoros à sua volta. Depois da “Internet das Coisas” virá o “Você das Coisas (You of Things)’”, revelou a futurista Amy Webb, na abertura do Futurecom Digital Week, nesta segunda-feira,8, com a palestra “Tendências Tecnológicas emergentes: o que esperar para 2030?”

Os smartphones vão ceder espaço a aparelhos que as pessoas vão vestir, cada vez mais integrados ou até implantados ao corpo humano. “Nas próximas décadas iremos ‘voltar ao futuro’. Ao invés de um aparelho com todas as tecnologias, teremos aparelhos com interações. Usaremos roupas e óculos conectados que apenas vão precisar do 5G ou a nuvem. Isso mudará os hábitos dos consumidores”.

Outro ponto de destaque da palestra de Webb foi a revelação de que a Biologia será a mais importante tecnologia “da próxima década, do próximo século, porque está interligada com inteligência artificial, plataformas de tecnologias e com alta tecnologia”, explicou.

Atraso tecnológico

Ao responder a perguntas Webb revelou que gostaria de que o governo brasileiro investisse pesado em infraestrutura. “Vocês ainda usam a tecnologia 3G em alguns lugares. Quando parte dessa infraestrutura melhorar, a inovação vai seguir”, criticou. Ela afirma que São Paulo pode ser um hub de inovação tecnológica.

Segundo ela, o Brasil é um país interessante e atraente para investidores e empresas de tecnologia, e tem pessoas talentosas, fazendo coisas incríveis. “Em relação à infraestrutura o Brasil ficou para traz. Uma das tecnologias disruptivas interessantes para o país seria a biologia sintética. Brasil tem o setor da agricultura robusto. É uma área que ele pode se tornar um líder mundial”.

No Brasil, o mercado do celular irá mudar. Para a futurista, o setor de telecomunicações brasileiro será atualizado nos próximos anos. “O que significa uma conexão mais estável e mais rápida. A chegada das novas tecnologias vai possibilitar o Brasil a se atualizar. O país entrará em uma nova era e alavancará a economia”.

PUBLICIDADE
Anterior Saiba quais celulares vendidos hoje no Brasil são compatíveis com as futuras redes 5G SA
Próximos Apenas 20 dos 5.570 municípios adequaram suas leis à chegada da 5G