PORTAL DE TELECOM, INTERNET E TIC

Crédito DMI

Demanda por crédito cresce 21% em fevereiro

O setor de serviços, que cresceu 134% na comparação com fevereiro do ano passado, foi o responsável pelo aumento da demanda por crédito.
Demanda por crédito cresce 21% em fevereiro - Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

A demanda por crédito registrou alta de 21% em fevereiro de 2022, em relação ao mesmo mês no ano passado. Na comparação mensal com janeiro deste ano, no entanto, a alta não foi tão expressiva, registrando crescimento de apenas 2%, conforme Índice Neurotech de Demanda por Crédito (INDC). O indicador mede mensalmente o número de solicitações de financiamentos nos segmentos de varejo, bancos e serviços.

No mês passado, o destaque ficou novamente com serviços que liderou o aumento da demanda de crédito com um desempenho de 134%, mantendo trajetória exponencial desde o final de 2021 na base anual de comparação. Em relação ao mês de janeiro, porém, houve queda de 3%.

Ainda no comparativo com janeiro, os bancos e as financeiras demonstraram queda de 2%, enquanto as varejistas registraram alta de 22%.

Na comparação anual, o setor financeiro manteve desempenho estável em relação a fevereiro de 2021, com expansão de 1%. O mesmo ocorreu com varejo, que cresceu 44% na mesma base de comparação.

Para o Breno Costa, diretor executivo de receitas da Neurotech, o momento é de muita incerteza, o que impactará mais na concessão do que na demanda por crédito.

“Estamos atravessando um período de turbulência global, além da conjuntura econômica local, que não é nada boa. O brasileiro tem apetite por financiamento, porém os que concedem o crédito andam mais reticentes quanto aos reflexos dessa movimentação nas operações das empresas e na renda das famílias, o que impacta diretamente nas percepções de risco”, explica.

A diferença do cenário atual em relação ao início do ano passado, quando a pandemia dava sinais de agravamento,, é que o mercado está mais preparado para lidar com incertezas, segundo Costa. “Houve um período grande de aprendizado, em que as instituições passaram a usar novas tecnologias e conceder crédito, o que ajuda a reduzir os riscos de inadimplência”, comenta.

Desempenhos setoriais
O INDC traz ainda como destaque a alta do segmento de eletroeletrônicos, com 135% de aumento. Supermercados, vestuário e lojas de departamento, que também compõe o varejo, avançaram 26%, 23% e 40%, respectivamente, em fevereiro de 2021 sobre igual mês do ano passado ano. Na comparação com janeiro, todas as categorias tiveram desempenho positivo, exceto outros (-6%).

A pesquisa foi realizada com 94 empresas instituições financeiras e varejistas e mensura o apetite do brasileiro ao crédito. 

(Com assessoria)

TEMAS RELACIONADOS

ARTIGOS SUGERIDOS



 

Chatbot com IA da Mundiale automatiza vendas dos ISPs em até 84%
ISPs ainda podem contar com envio automatizado de boleto com régua de cobrança para reduzir a inadimplência e com gerenciamento fim-a-fim.