Datora investe em pessoal para crescer no mercado de M2M


Primeira operadora móvel virtual (MVNO) a explorar exclusivamente o mercado de M2M, a Datora Mobile foca na especialização de seu quadro funcional para atender um mercado altamente especializado. “A ideia é conquistar um mercado promissor em quatro setores, todos eles com especificidades técnicas diferentes, que requerem profissionais capazes de oferecer soluções para cada deles de muita qualidade”, disse o CEO da empresa, Wilson Otero.

Os mercados explorados pela Datora são rastreamento de automóveis e bens materiais; máquinas de cartão de crédito sem fio; smart grid e telemedicina (eHealth), todos em franco crescimento no país. “Cada um deles requer soluções de comunicação diferente e, para isso, precisamos de pessoal capaz de atender as necessidades deles, de inovar. Não basta investir em equipamentos”, disse Otero. A empresa já conta com mais de 20 especialistas nessas áreas.

PUBLICIDADE

Como empresa de capital fechado, a Datora, que é genuinamente brasileira, não informa o número de clientes, nem faturamento, ou mesmo investimentos previstos para 2013. Mas basta olhar os números de conexão de M2M da Anatel para se ter uma ideia desse mercado. Em dezembro, foram 6,74 milhões de terminais desse tipo, acima dos terminais de dados móveis (minimodems), na casa de 6,72 milhões.

Integradora

A Datora Telecom, a principal empresa do grupo, funciona como a primeira MVNA do país, ou seja, integradora de operadoras móveis virtuais. Nesse mercado, a companhia, em parceria com a Porto Seguro Telecom, explora também o mercado de M2M, combinado com os mercados de voz e internet móveis. O número de conexões dessa parceria já passa de 8,3 mil em seis meses. O alvo dessa MVNO é, basicamente, o rastreamento dos veículos segurados pela Porto Seguro e o serviço móvel de voz  e dados para funcionários e clientes.

No ano passado, a Datora Telecom elaborou um projeto para a atuação da Virgin Mobile no Brasil. A proposta ficou pronta, mas ainda não há uma resposta da operadora inglesa. Caso seja positiva, a intenção é de que as duas empresas trabalhem em parceria. “Já temos contratos de tráfego com todas as operadoras fixas e móveis do Brasil; temos a experiência com a Porto Seguro na área de MVNOs; e sabemos integrar uma plataforma de MVNO aos sistemas de quaisquer operadoras”, afirmou Otero. O foco dessa parceria são os mercados de voz e dados móveis.

O CEO da Datora informa que a empresa detém todas as licenças para prestar serviços de telecomunicações e sua estrutura consegue suportar várias MVNO. Atualmente, o contrato de uso de rede da companhia é com a TIM e a plataforma foi fornecida pela Ericsson.

PUBLICIDADE
Anterior México vai fazer nova lei de telecomunicações
Próximos Lucro da Intel tem queda de 15%