PORTAL DE TELECOM, INTERNET E TIC

Satélite

Cresce demanda por parabólicas digitais da Siga Antenado, mas total será revisto

Demanda por parabólicas digitais junto à Siga Antenado pelos beneficiários do Cadastro Único aumenta com a interiorização do 5G

siga antenado

A demanda e o ritmo de instalações de antenas parabólicas digitais pela Siga Antenado aumentou muito neste ano, se comparado a 2022, quando o sinal 5G foi ativado apenas nas capitais brasileiras.

Até o final de dezembro de 2022, a entidade havia trocado entre 20 mil e 30 mil parabólicas comuns pelos modelos novos, que sintonizam canais transmitidos por satélite nas banda Ku nas grandes cidades.

Este ano, com a ampliação da quantidade de municípios com o sinal liberado, a Siga Antenado já instalou mais 100 mil antenas. Número que seguirá em expansão com o início das trocas em mais 664 cidades a partir de hoje, 29, para as quais estão reservados 900 mil kits.

Segundo Leandro Gerra, CEO da Siga Antenado (EAF), era esperada uma demanda menor nas capitais, mas não tão baixa quanto a registrada. A estimativa era que os grandes centros recebessem 250 mil kits, o que não se concretizou.

Mas, lembra, é no interior que vive a maior parte dos integrantes do Cadastro Único do governo federal que usam apenas parabólicas analógicas para ver TV. Assim, é natural que, com a interiorização dos trabalhos da Siga Antenado, a demanda aumente.

Apesar do crescimento da demanda, a Siga Antenado e o Gaispi, grupo presidido pela Anatel e que coordena a chegada do 5G ao Brasil, já trabalham numa revisão do total de antenas que deverão ser trocadas.

“Os números que inspiraram os cálculos de troca de parabólicas eram de 2019, do IBGE. Agora estamos avaliando estes dados para o resto do planejamento”, contou Guerra, durante coletiva de imprensa realizada hoje.

Estações FSS

Guerra comentou também o trabalho realizado para atualização das estações de serviços profissionais por satélites, conhecidas simplesmente por estações FSS. A Siga Antenado tem como prioridade colocar filtros em todas as antenas deste tipo no Brasil que tenham sido registradas na Anatel até janeiro deste ano, e que estejam sujeitas a interferências das redes 5G.

Até o momento, esse trabalho vem sendo realizado sem sustos. Apenas 5 estações FSS, dentre 6,5 mil que receberam filtros, registraram problemas de interferência e foram trocadas.

Nas 664 cidades abertas hoje para instalação de parabólicas digitais, existem outras 5.700 estações de serviços profissionais de satélite com direito a receber filtros.

“A gente não deixa nenhuma estação [FSS] pra trás. Executamos o trabalho de proteção do filtro em todas que estão na área e nas franjas dos municípios. Tem sido um trabalhou muito exitoso, com poucas reclamações de interferências, menos de 5 até o momento, e tivemos ação corretiva muito rápida”, disse ele.

TEMAS RELACIONADOS

ARTIGOS SUGERIDOS