Covid-19: TJ manda governo de SP mostrar termos de acordo com operadoras


A 1ª Vara da Fazenda Pública da Capital do Tribunal de Justiça de São Paulo mandou o governo do Estado de São Paulo apresentar em até 10 dias os termos da parceria público privada firmada com empresas de telefonia móvel. A ação trata do Sistema de Monitoramento Inteligente de São Paulo (SIMI-SP), que usa dados de usuários, fornecidos pelas operadoras para medir a adesão à quarentena em todo o Estado e também enviar mensagens de alerta para as regiões com maior incidência da Covid-19.

Para a juíza Renata Barros Souto Maior Baião, apesar de a medida visar a preservação da saúde da população, o compartilhamento de dados de usuários de telefonia móvel pode levar à violação de direitos constitucionais fundamentais.

PUBLICIDADE

“Além disso, é corolário dos princípios administrativos constitucionais a publicidade dos atos administrativos cuja observância, até o momento, não se verifica, inviabilizando a análise do exato alcance do sistema instituído”, escreveu a magistrada na decisão publicada ontem, 15 pelo tribunal.

Sem clareza

A juíza considerou que somente diante da análise dos termos da parceria é que será possível verificar se há violações. “À míngua de provas acerca do prazo da parceria, da destinação dos dados após o encerramento e utilização do sistema, bem como da extensão do sistema de monitoramento (área, base de dados, periodicidade de entrega das informações, o tempo entre a coleta dos dados e sua disponibilização à Administração Pública, identificação de quem acessará tais informações, parâmetros para anonimização de dados, existência de políticas de segurança da informação etc.), assim como os critérios utilizados para identificar a localização dos usuários, a granularidade dos dados tratados e entregues à Administração Pública, dentre outras particularidades, é inviável avaliar, neste momento, a proporcionalidade entre os direitos constitucionais confrontados”, argumenta.

O governador de São Paulo, João Dória, anunciou a parceria com Vivo, Oi, Claro e TIM no dia 9 de abril. O estado já vinha recebendo auxílio da Vivo para monitorar aglomerações. A partir desta semana, as demais teles passariam a cooperar também. Embora não tenha publicado os termos no Diário Oficial do estado, Dória afirmou publicamente que o acordo prevê a elaboração de mapas de calor e deslocamento da população em cidades com mais de 30 mil habitantes.

Ele afirmou que a parceria é voluntária e durará enquanto houver quarentena no estado. As teles, além de fornecer os dados para elaboração dos mapas de calor, vão enviar mensagens SMS a usuários que se deslocarem para áreas consideradas de risco, com alta incidência da doença.  (Com assessoria de imprensa)

Anterior Indústria de TIC amplia produção de ventiladores pulmonares com apoio da Lei de Informática
Próximos Coronavírus levará mercado de telecom à retração neste ano, prevê consultoria