Consumidor de telecom começa a ser ouvido em pesquisa


TeleSintese-Pessoas-Greve-Manifestacao-apresentacao-publico-reuniao-coletivo-Fotolia_144818200

Os consumidores de serviços de telecomunicações serão entrevistados, a partir do próximo dia 26.  Será realizada a “Pesquisa de Aferição da Satisfação e da Qualidade Percebida dos Usuários de Serviços de Telecomunicações de 2017”. A previsão é de que os resultados da pesquisa de 2017 sejam divulgados no 1º trimestre de 2018.

Cerca de 140 mil consumidores de telecomunicações em todo o país serão entrevistados por meio de ligações telefônicas. As entrevistas serão realizadas até novembro. Os consumidores serão questionados sobre a satisfação com a prestação dos serviços; os canais de atendimento; o atendimento telefônico; oferta e contratação; funcionamento; cobrança/recarga; reparo e instalação; e capacidade de resolução de problema.

PUBLICIDADE

A realização da pesquisa é uma obrigação das prestadoras de serviços de telecomunicações. As prestadoras são responsáveis por contratar uma empresa que realize as entrevistas operacionalize a pesquisa. A empresa contratada foi a mesma de 2016, a multinacional TNS. As prestadoras responsáveis pela pesquisa são: Claro, Oi, Tim, Vivo, Cabo Telecom, Porto Seguro, BrisaNet, Algar Telecom, Sercomtel, Nextel, Net, Sky e Nossa TV.

Na pesquisa de 2016, as notas de satisfação geral registradas foram: 7 para TV por assinatura; 6,93 para a telefonia fixa; 6,86 para a telefonia móvel pós paga; 6,78 para a telefonia móvel pré-paga, e 6,26 para a banda larga fixa.

A banda larga fixa em Roraima registrou o  pior índice de satisfação (5,28); e a telefonia fixa do estado também foi mal avaliada (5,97). A telefonia móvel pós-paga, a menor satisfação do consumidor foi no estado do Ceará (6,57). Já em relação à telefonia móvel pré-paga o estado com menor satisfação foi o DF (6,42), e em relação à TV por assinatura o estado com clientes menos satisfeitos foi Goiás (6,71). (assessoria de imprensa).

Anterior Anatel também reproduz regras da MP da Refis
Próximos Prysmian investe R$ 18 milhões na fábrica de fibra óptica de Sorocaba