Conselho da FCC deverá impulsionar desenvolvimento da 6G nos EUA


Conselho da FCC deverá impulsionar desenvolvimento da 6G nos EUA. Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

A nova composição do Conselho Consultivo Tecnológico (TAC) da Comissão Federal de Comunicações (FCC) dos Estados Unidos deverá impulsionar o desenvolvimento da 6G no país. “O Estados Unidos deverá liderar o mundo no avanço ambicioso na pesquisa e desenvolvimento da 6G”, declarou a presidente da FCC, Jessica Rosenworcel.

A agência divulgou os nomes dos membros do TAC indicados pela presidente ontem, 19. O conselho é responsável por identificar quais as inovações e tecnologias que merecem maior atenção para desenvolvimento de políticas públicas. “Nós sabemos que manter a nossa liderança em tecnologias emergentes de alta prioridade requer planejamento e execução cuidadosa”, comentou Rosenworcel.

PUBLICIDADE

Além da 6G, outros assuntos de destaque para o TAC são inteligência artificial e tecnologias avançadas no compartilhamento de espectro. O órgão será presidido por Dean Brenner, ex-executivo e atual representante da Qualcomm. Outras empresas representadas no conselho são Intel, Microsof, AT&T, T-Mobile, Viasat, Apple, Nokia, Motorola, Verizon e Samsung. A primeira reunião do TAC está marcada para o dia 28 de fevereiro em videoconferência aberta ao público.

EUA perde liderança da 5G para China

Os Estados Unidos ficou atrás da China na implantação da 5G. O último trimestre do ano passado registrou aumento de 63,5% nas vendas de smartphones habilitados para quinta geração, segundo a Reuters. A FCC chegou a lançar um plano que consistia em acelerar o planejamento dos leilões 5G no país com o intuito de tirar da China a liderança na tecnologia.

“Ainda em 2016, nós estávamos em sérios riscos de ceder a liderança dos Estados Unidos para nossos competidores ultramarinos, e isso envolveria milhões de empregos e trilhões de dólares” afirmou o comissário Brandan Carr na época. Em reunião, ele mostrou dados que indicavam a diferença de implantação de redes de quinta geração entre os dois países. Entre 2012 e 2016, a China construiu 460 novas células 5G por dia, e os Estados Unidos menos de três.

A FCC também baniu do país a subsidiária da China Telecom por representar risco à infraestrutura de telecom dos EUA, conforme a própria agência. A China Unicom também está na mira da Comissão desde 2021, quando a FCC iniciou o processo para revogar a licença de atuação da estatal chinesa. (Com assessoria de imprensa)

PUBLICIDADE
Anterior Denis Ferreira é o novo CEO do Grupo Conexão
Próximos Operação-padrão da Receita já afeta importação de eletrônicos