Conselho dá carta branca para a TIM buscar o REPNBL


O resultado do primeiro dia de reuniões do conselho de administração da TIM, ontem, 25, foi carta branca para que o presidente da operadora brasileira, Rodrigo Abreu, inscrevesse projetos no Regime Especial de Tributação do Programa Nacional de Banda Larga (REPNBL).

A companhia é a única grande operadora do país que, desde o início do programa de desoneração sobre investimentos em infraestrutura de banda larga, não teve nenhum projeto aprovado na iniciativa do Ministério das Comunicações e Receita Federal até junho de 2015, segundo dados oficiais. As inscrições para a última edição do REPNBL terminaram em julho, mas há no governo debate sobre a continuidade do programa.

PUBLICIDADE

“Os Senhores Conselheiros autorizaram a submissão pela TCEL [TIM Celular] dos projetos apresentados no âmbito do REPNBL, podendo os membros da Diretoria da TCEL, Srs. Rodrigo Modesto de Abreu e Daniel Junqueira Pinto Hermeto [ Purchasing &. Supply Chain Officer], praticar todos os atos, firmar todos e quaisquer documentos ou requerimentos, independentemente de seu valor, e adotar, enfim, todas as providências necessárias e exigidas”, afirma a companhia, em comunicado ao mercado, para participar do programa.

Os investimentos se enquadrarão no plano estratégico da companhia, que prevê gastar R$ 14 bilhões até o final de 2017 no país. Apenas em São Paulo, a TIM deve investir cerca de R$ 700 milhões. A reunião do conselho prossegue nesta sexta-feira, 25, no Rio de Janeiro.

Anterior Berzoini formaliza criação do grupo de trabalho para estudar mudanças na concessão de telefonia
Próximos Com receita em queda livre, Blackberry anuncia smartphone Android