Começa o Leilão do 5G, maior venda de espectro já realizada pela Anatel


Na manhã desta quinta-feira, 4, foi dada a largada para o Leilão do 5G da Anatel. Na disputa das quatro faixas de frequência, estão 15 empresas e consórcios do setor de telecomunicações. Entre hoje e amanhã, serão conhecidos os autores das melhores propostas para cada faixa. A expectativa é que o certame arrecade cerca de R$ 50 bilhões.

PUBLICIDADE

Durante cerimônia de abertura, o presidente da Anatel, Leonardo Euler de Morais, em seu último dia no cargo, destacou os principais compromissos do leilão. São eles: 9 mil localidades sem 4G, 35 mil km de estradas, mais de 600 municípios conectados com backhaul e conexão em escolas. Morais citou os caminhoneiros como os principais usuários das faixas de banda larga nas rodovias.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, dedicou tempo a tecer elogios ao presidente Jair Bolsonaro, em tom quase eleitoral. Segundo Faria, o país sairá na frente como primeiro da América Latina a ofertar a tecnologia. “Todos os países estão olhando para o leilão do 5G. O Brasil vai ser o primeiro país da América Latina a ter o 5G. Vamos mostrar para o mundo que o Brasil é um país digital”. Também falou sobre a importância da tecnologia de quinta geração para “conectar a população que está desconectada”.

Vale destacar que o 5G opera no país há mais de um ano, na versão 5G DSS, considerada a primeira implementação 5G antes da chegada da versão 5G SA, o 5G “puro” e capaz de atingir o máximo, em laboratório, das métricas esperadas para este tipo de conectividade. Também há redes 5G já em operação no Uruguai. E no Chile, o leilão do espectro de 3,5 GHz destinado à quinta geração foi concluído em fevereiro, com resultado recorde. Desde então, as vencedoras vem instalando o 5G em Campus Universitários – mais de 20 já receberam o sinal.

Segundo Faria, o fato de o leilão ser não-arrecadatório e de prever investimentos da ordem de R$ 40 bilhões é inédito e se reverterá em mais conectividade em escolas, estradas e localidades não conectadas.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, elogiou o ministro e relator do edital do 5G, Raimundo Carreiro, do TCU. Também disse que agora os indígenas terão internet, produzirão notícias sobre a Amazônia e enviarão para o exterior. Aqui vale também a ressalva de que o aldeias indígenas podem receber cobertura do programa WiFi Brasil, do MCom. E que o sinal móvel que será levado às aldeias em razão do leilão de agora não será 5G, mas 4G, como parte dos compromissos de quem adquirir o lote de 700 MHz.

Também estavam presentes na solenidade de abertura, os ministros da Economia, Paulo Guedes, da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, da Casa Civil, Ciro Nogueira, da Cidadania, Onix Lorenzoni, da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, e o General Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional, entre parlamentares e conselheiros.

PUBLICIDADE
Anterior Fundo Pátria leva a frequência de 700 MHz com ágio de 805%
Próximos Claro, TIM e Vivo arrematam 80 MHz na faixa de 3,5 GHz e poderão comprar mais