Com meta de cobrir todos os estados do Nordeste até 2023, Brisanet amplia vagas


Com meta de cobrir todos os estados do Nordeste até 2023, Brisanet amplia vagas
Crédito: Divulgação

A expansão da Brisanet vai colocar a empresa em todos os nove Estados do nordeste em 2023. Por conta disso, o grupo acaba de abrir novas vagas de emprego com processo seletivo para os meses de dezembro e janeiro. A telecom quer contratar 1.164 pessoas para o preenchimento de vagas distribuídas na região.

O Grupo Brisanet atingiu recentemente a marca de 1 milhão de clientes, distribuídos em sete Estados do Nordeste. Esse número é referente às duas bases da companhia: a Brisanet e a rede de franquias Agility Telecom. Juntas, as empresas detém 25% de market-share global da região atendida.

PUBLICIDADE

Nesta semana, a Brisanet anunciou que quer investir 1,3 bilhão em 2023, e oferecer pacotes 5G de R$ 30 com até 150GB de franquia. Em 2024, esse valor chegará R$ 1,5 bilhão, sendo 60% voltados para a quinta geração.

Processo seletivo

As 1.164 vagas estão distribuídas da seguinte forma: 33 em Alagoas; 146 na Bahia; 429 no Ceará; 77 no Maranhão; 31 na Paraíba; 274 em Pernambuco; 89 no Piauí; 48 no Rio Grande do Norte; e 37 em Sergipe.

O processo seletivo acontece de forma on-line através do site da operadora, onde os interessados devem acessar o link “Trabalhe Conosco” para se inscrever.

Há oportunidades em diversas funções e campos de atuação, como promotor de vendas, agente de coleta, reparador e instalador de telecomunicações, além de cargos comerciais, operacionais e administrativos.

Por meio da página da Brisanet, o candidato tem acesso a todas as vagas disponíveis e a possibilidade de realizar a inscrição na que for mais adequada ao seu perfil. As oportunidades também são acessíveis para pessoas com deficiência.

A Brisanet contratou cerca de 4.000 novos funcionários entre janeiro e novembro de 2021, uma média de 370 contratações por mês. Atualmente, o Grupo emprega mais de 7.650 colaboradores.

PUBLICIDADE
Anterior Anatel e UFCG assinam acordo para estudos em segurança cibernética
Próximos Ortunho, da ANPD, cobra mais investimento privado em segurança cibernética