MWC: com Android, Nokia quer avançar no mercado de aparelhos de baixo custo


A Nokia apresentou nesta segunda-feira (24) durante o Mobile World Congress 2014, que está sendo realizado em Barcelona, sua nova estratégia para liderar o mercado de smartphones low entry, principalmente em países emergentes. E, para isso, recorreu ao sistema operacional do principal concorrente do Windows Phone, o Android. A família X, como foi denominada, terá a versão AOSP (Android Open Source Project) do sistema do Google e não vai contar com acesso à loja de aplicativos Google Play, mantendo a Nokia Store.
 

“O Nokia X tem o design da linha Lumia, os aplicativos da Nokia e os serviços da Microsoft”, disse Stephen Elop, diretor-executivo da Nokia. De acordo com o executivo, a abordagem da empresa é a de contar com quatro níveis de produtos: uma linha de entrada com preços competitivos, como a linha Asha 220, lançado também no MWC e com preço sugerido de 29 euros; a linha Asha com recursos touchscreen, como o lançamento Asha 230 que terá preço sugerido de 45 euros; a família X, com Android que tem como principal alvo mercados em desenvolvimento, como América Latina; e a linha de smartphones Lumia, mais sofisticada.

PUBLICIDADE

A Nokia apresentou três modelos da família X, o Nokia X, X + e XL. Topo da linha, o XL conta com tela de cinco polegadas, com uma câmera frontal de 2 MP e uma traseira de 5 MP. Estará disponível nas cores verde-claro, vermelho, turquesa, amarelo, preto e branca. Os outros dois modelos terão tela de quatro polegadas e câmera de 3 MP.

De acordo com a empresa, o Nokia X já está disponível nas regiões Ásia-Pacífico, Europa, América Latina, Oriente Médio, África e na Índia, por um preço sugerido de 89 euros. Os demais modelos deverão chegar a esses mercados no início do segundo trimestre, com preços de 99 euros (X+) e 109 euros (XL).

Todos os produtos da linha X terão acesso a serviços mais populares da Microsoft, como o armazenamento gratuito em nuvem OneDrive e Here Maps. Também terão acesso gratuito ao Skype por um tempo limitado. Todos os modelos usam o processador dual core Snapdragon, da Qualcomm. (Da redação)
 

Anterior GSMA: Falta transparência para renovação de licenças 2G na América Latina
Próximos MWC: Telefónica em direção à rede virtual com Alcatel-Lucent