Com 5G DSS, brasileiros têm downloads 2,4 vezes mais rápidos que no 4G, indica estudo


Divulgação
Divulgação

Dá para fazer download de arquivos 2,4 vezes mais rápido com 5G do que com 4G, no Brasil, segundo a Opensignal. Esta foi uma das conclusões a que chegou um estudo da consultoria.

Outro resultado é que as velocidades médias de upload que os usuários brasileiros experimentaram no levantamento foram 2,1 vezes mais rápidas em 5G em comparação com 4G.

PUBLICIDADE
O gráfico mostra o comparativo entre as velocidades de download e upload no Brasil e nos demais principais mercados - Reprodução
O gráfico mostra o comparativo entre as velocidades de download e upload no Brasil e nos demais principais mercados – Reprodução

Segundo o relatório, a experiência dos usuários brasileiros está próxima dos 41 principais mercados 5G quando se trata de dispositivos móveis, mais ainda não conseguimos aproveitar as velocidades de download mais rápidas que vêm com o 5G.

A Opensignal lembra que, atualmente, as operadoras móveis brasileiras contam com o Dynamic Spectrum Sharing (DSS), que usa o espectro 4G existente para conexões 4G e 5G. De acordo com a consultoria, isso limitou a qualidade da experiência 5G do Brasil até agora, o que deve mudar com os reflexos do leilão do 5G no mercado.

O aumento de velocidade do 5G no Brasil abaixo da média dos 41 principais mercados 5G acontece, provavelmente, porque as operadoras brasileiras tiveram menos acesso ao novo espectro 5G. Enquanto o Brasil tem um aumento de 2,4 vezes entre as velocidades médias de 5G e 4G observadas por nossos usuários, nos 41 principais mercados de 5G há um aumento de 4,7 vezes.

Por outro lado, para a experiência móvel, o aumento de 4G para 5G do Brasil foi maior do que a média dos 41 principais mercados 5G. Para experiência de vídeo, o país teve um aumento de 19,4 pontos (39,1%) em comparação com um aumento de 16,8 pontos (28%) nos 41 principais mercados 5G.

Em relação a games, o aumento do Brasil foi de 13,9 pontos (22,7%) em comparação com apenas 4,7 pontos (6,6%), e para Voice App Experience, o aumento de 4G-5G do Brasil de 5,3 pontos (7%) superou o aumento de 1,2 ponto (1,5%) visto nos 41 principais mercados 5G.

Métricas

Para avaliar a experiência da rede móvel 5G do Brasil, a Opensignal analisou oito métricas. Também analisou os resultados do Brasil com a experiência média de 5G dos usuários em 41 principais mercados de 5G para entender como o 5G provavelmente melhorará quando as operadoras puderem usar seu espectro recém-adquirido.

A consultoria aponta que, analisando as métricas experimentais — 5G Video Experience, 5G Games Experience e 5G Voice App Experience -, descobriu que as pontuações do Brasil estão estatisticamente no mesmo nível de 41 principais mercados 5G quando se trata de jogos móveis multijogador e no uso de over-the-top (OTT ) serviços de voz — aplicativos de voz móveis, como WhatsApp, Skype e Facebook Messenger.

Para a experiência de vídeo, os usuários no Brasil estão atrás dos usuários nos 41 principais mercados 5G em 6,5 pontos, com uma pontuação média de 68,9 (em uma escala de 100 pontos). Isso coloca o país na categoria Muito Bom (65-75), o que, de acordo com a Opensignal, significa que nossos usuários tiveram tempos de carregamento geralmente rápidos e apenas paradas ocasionais, mas a experiência pode ter sido um pouco inconsistente entre usuários e provedores de vídeo ou resoluções.

Com pontuações estatisticamente empatadas na faixa de 75,1-75,6 pontos, nossos usuários no Brasil e 41 principais mercados 5G foram colocados na categoria Bom (75-85) para experiência de jogos. O índice foi considerado aceitável pela maioria dos usuários testados.

Usuários do Brasil e de 41 dos principais mercados 5G não viram diferença estatística na experiência do aplicativo de voz 5G, classificada como boa (80-87). O relatório indica que a maioria dos usuários teve uma experiência satisfatória, mas alguns tiveram problemas na qualidade das chamadas.

Questão de tempo

Como o 5G ainda está em seus estágios iniciais no Brasil, os usuários gastaram em média apenas 3,3% do tempo com uma conexão 5G ativa. Em comparação, os usuários em 41 principais mercados 5G – muitos dos quais têm serviços 5G há muito mais tempo que o Brasil – passaram 12,7% do tempo com uma conexão 5G ativa.

Outra métrica que serviu como comparação para a Opensignal é o Alcance 5G, que analisa a proporção média de locais onde os usuários estavam conectados a uma rede 5G em relação a todos os locais que esses usuários visitaram. O Brasil teve uma pontuação de 0,8 pontos em 10, enquanto os 41 principais mercados 5G marcaram 3,5 pontos, o que significa que os usuários nos 41 principais mercados 5G viram 5G em mais de 3 dos 10 locais que visitaram.

PUBLICIDADE
Anterior Comissão de juristas que vai criar PL da inteligência artificial é prorrogada
Próximos BTG assume o controle da V.tal, após renegociação do contrato com OI