Clima e guerra. Um dos assuntos do novo e-book Campo Digital


Nela,  nos aprofundamos no universo da tecnologia no mundo agrícola, relatando as dores que enfrentam os produtores no processo de transformação digital e as soluções encontradas por eles para garantir melhor custo/benefício para seus investimentos. Os riscos da guerra e mudança climática também são analisados.

Os avanços das conexões terrestres e satelitais também nas páginas da nova edição.

Estamos com a nova edição do  e-book Relatório Exclusivo Campo Digital. Nela,  nos aprofundamos mais no universo da tecnologia no mundo agrícola, relatando as dores que enfrentam os produtores no processo de transformação digital e as soluções encontradas por eles para garantir melhor custo/benefício para seus investimentos.

“À  medida que o uso da tecnologia no campo ganha escala, o setor agroindustrial começa a enfrentar problemas comuns a outras áreas que fizeram o mesmo caminho anteriormente: a falta de pessoal qualificado para administrar a digitalização avançada do campo.
Esse é um tema caro para a academia, para centros de pesquisa, para entidades setoriais, e outros setores envolvidos. Além de afetar currículos na graduação também favorece o surgimento de cursos extracurriculares ou mesmo de pós-graduação. O desafio é formar e manter os profissionais especializados no próprio setor.

PUBLICIDADE

A agroindústria também está atenta à inovação e a Indústria 4.0 passa a ser vista como uma forma de integração do campo e produção, levando ao produtor mais ferramentas que possam garantir aumento de produtividade. Nesta edição falamos ainda sobre o reflexo na agropecuária da guerra que vimos ter início com a invasão da Ucrânia pela Rússia. O Brasil é grande importador de fertilizantes russos que, por enquanto, não entraram na lista de boicotes ao país. Mas o sinal de alerta está ligado.

Com pressão sobre o custo na importação dos insumos, o agro ainda precisa manter seus compromissos de investir para minimizar os efeitos das mudanças climáticas inclusive sobre sua própria produção uma vez que o clima é
tema sensível para esse mercado.

Enquanto a agricultura avança na transformação digital, a pecuária segue em seu próprio ritmo e aguardando novos modelos de negócios que comprovem a efetividade da inovação em seus negócios. Investimentos têm sido efeitos e a Internet das Coisas tem sido utilizada nos pastos e na produção leiteira.

Este ano tivemos o AGROtic 2022 em maio e aqui trazemos para você um pouco do que foi discutido no evento. O aumento da cobertura móvel e satelital nas fazendas, a entrega de soluções terrestres também pelas operadoras de celular e  o gerenciamento de riscos nas produções. As tecnologias que estão sendo usadas para ampliar essa conectividade também são destaques deste e-book.

Baixe aqui o caderno completo.

PUBLICIDADE
Anterior MCom confirma prazos para ampliação do projeto Amazônia Conectada
Próximos Presidente da ANPD e especialistas divergem sobre data que marcará ações pela LGPD