Claro inaugura maior usina de Geração Distribuída do país movida a biogás


Construída em Nova Iguaçu (RJ) e operada pela RZK Energia, a usina tem autorização para gerar até 4,65 megawatts médios (MWm) de energia, que irão abastecer 2.991 unidades da Claro, entre torres, datacenters e outras estruturas

A Claro tem agora a maior usina em operação de Geração Distribuída (GD) do Brasil em capacidade instalada de potência. Construída e operada em Nova Iguaçu (RJ) pela RZK Energia, empresa do Grupo Rezek, é movida a biogás e tem autorização para gerar até 4,65 megawatts médios (MWm) de energia, que irão abastecer 2.991 unidades da Claro, entre torres de telefonia, datacenters e outras estruturas operacionais da companhia.

PUBLICIDADE

Compacta (700 metros quadrados) e com baixa emissão de ruído, a usina tem central geradora formada por um conjunto de quatro motores, que são interligados ao aterro municipal da cidade por meio de dutos. O aterro recebe diariamente 4.500 toneladas de resíduos de diversos municípios da Baixada Fluminense.

Além de reduzir os custos para o tratamento do lixo, a nova usina vai evitar que gases poluentes sejam despejados na atmosfera. A expectativa é que a operação de queima de biogás pela usina evitará a emissão de mais de 15.000 toneladas de gás carbônico por ano. Isso equivale ao plantio de 122 árvores.

Programa

A iniciativa integra o programa energético da Claro lançado em 2017, que prevê o uso de fontes renováveis e ações de proteção ao meio ambiente em todas as operações e instalações da empresa no Brasil.

Em 2020, o programa já alcançou a marca de 40% de geração própria de energia nas unidades de baixa tensão. O projeto de Geração Distribuída prevê a geração de energia limpa (solar, hidrelétrica, biogás e cogeração qualificada) para todas as concessionárias de energia elétrica, e engloba ainda ações de mobilidade elétrica e de eficiência energética.

“A Claro tem o compromisso de reduzir a emissão de poluentes na atmosfera e, com isso, colaborar com o controle das mudanças climáticas. Estamos empenhados em nos tornarmos praticamente autossuficientes em energia de fonte limpa e, assim, colaborar com a preservação dos recursos naturais”, diz Hamilton Ricardo Pereira da Silva, diretor de Infraestrutura da Claro, em comunicado sobre o lançamento.

Segundo o sócio e diretor da RZK Energia, Luiz Serrano, o investimento privado na geração de energia a partir de fontes livres de carbono é uma tendência que ganha força no Brasil, tanto pelo ganho econômico que seu uso proporciona, como pelo lado sustentável ao não agredir o meio ambiente.

“É um mercado com franco potencial de desenvolvimento e expansão no Brasil com vantagens sob todas as perspectivas. São muitas as fontes alternativas de energia limpa que proporcionam uma melhor utilização dos recursos naturais, como é o caso da transformação do biogás em energia elétrica, ao mesmo tempo em que há ganhos visíveis em eficiência energética e em redução de custo para quem investe no formato de Geração Distribuída”, afirmou Serrano.

Redução de custos

A usina de biogás de Nova Iguaçu será operada no formato de Geração Distribuída (GD). Nesse modelo, a produção de energia é realizada próximo ao centro do consumo, o que reduz custos e evita perdas técnicas nos processos de distribuição e de transmissão, tornando a conta final mais barata, além de contribuir para o desenvolvimento sustentável.

O investimento contribuiu também com a criação de empregos e geração de renda. Mais de 100 pessoas se envolveram direta ou indiretamente no processo de elaboração, construção e operação da nova usina de biogás. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Accenture propõe que telcos arquitetem ecossistema de negócios para PMEs
Próximos Veek chega 58% dos DDDs brasileiros e quer alcançar todo Brasil em 2022