Claro e Engie inauguram parque eólico


Claro e Engie

A Engie, geradora privada de energia, juntamente com a Claro, inaugurou o Conjunto Eólico Campo Largo 2. As empresas fecharam um contrato de longo prazo para fornecimento de energia.

PUBLICIDADE

Por meio do acordo, a Claro abastecerá mais de 90 unidades. Isso inclui data centers, headends e prédios administrativos, bem como a matriz da empresa, localizada em São Paulo. Com a conclusão da construção, a Engie alcança 1,26 GW de capacidade de energia eólica no Brasil.

O contrato entre a Claro e a Engie foi estabelecido entre 2018 e 2019 e tem duração de 12 anos. Ele faz parte do programa A Energia da Claro, que prevê o uso de energia limpa para o abastecimento das operações por meio de parcerias para a construção de usinas de geração distribuída. Define ainda a compra de energia limpa no mercado livre, em contratos de longo prazo no modelo PPA (Power Purchase Agreement). Além da adoção de medidas visando aumentar a eficiência energética da companhia.

O programa vai gerar mais de 600 mil MWh/ano provenientes de fontes renováveis até o final de 2022. Isso representa 80% da energia consumida em todas as operações e instalações da empresa de telecomunicações no Brasil. A estimativa é que o programa reduza a emissão de CO2 em mais de 100 mil toneladas ao ano, o equivalente à retirada de quase 420 mil carros de circulação.

“Neste segmento, trabalhamos com um modelo de negócios focado em contratos de longa duração e parcerias bem estabelecidas, justamente para ajudar a alavancar a construção de novas usinas”, afirmou Hamilton Silva, diretor de Infraestrutura da Claro. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Feninfra diz que setor está satisfeito com relatório do TCU sobre leilão do 5G
Próximos Iniciativa 5G Brasil busca financiamento do governo dos EUA