Claro demonstra Gigabit LTE na rede de São Paulo


TeleSintese-Claro-02-outubro-2017-LTE-LAAUm episódio de uma série de TV em 4K leva 30 minutos para ser baixada se o usuário estiver em uma rede 4G. Se a rede for em tecnologia 4,5G, o tempo de download cai para três minutos. Mas se a rede for em Gigabit LTE, uma evolução dentro da LTE Advanced Pro, o tempo será de um minuto.

Esse foi o exemplo citado por Eduardo Ricota, presidente da Ericsson América Latina, para mostrar o que representa uma rede Gigabit LTE em termos de experiência do usuário. Pois foi essa rede que a Claro, em parceria com a Ericsson e a Qualcomm, demonstrou hoje, 2, em São Paulo, no escritório central da operadora, em São Paulo.

Para montar a rede, foram usados 20 MHz de frequência licenciada em 2.600 MHz e outros 60MHz em frequência não licenciada em 5 GHz. Além disso, o site contou com modulação em 256QAM e o recurso Mimo 4×4, que permite a transmissão entre torre e smartphone seja feita usando quatro antenas para transmissão e quatro para recepção.

PUBLICIDADE

O resultado obtido é de transmissão ao redor de 1 Gigabit por segundo (como se está usando frequência não licenciada, disputando com usuários de WiFi, há oscilação) e latência inferior a 1 milissegundo. “Como estamos usando uma solução end to end da Ericsson, do acesso ao pacote de dados, conseguimos um monitoramento muito bem feito da qualidade da chamada”, observou Ricotta.

Anterior Pequenos credores da Oi têm até 19 de outubro para receber até R$ 50 mil
Próximos Oi obrigada a liberar ligações via orelhões em 15 estados