Claro Box será lançado em toda a América Latina


A América Móvil pretende vender em toda a América Latina o ClaroBox. O produto foi desenvolvido para o mercado brasileiro e lançado no começo deste ano. Consiste em um set top box capaz de reproduzir canais lineares de TV por assinatura e roda aplicações de streaming de vídeo usando para isso a infraestrutura de banda larga fixa do cliente, de qualquer operadora.

“Estamos pensando em lançar a Claro Box em toda a América Latina, em todos os países. É uma boa ideia”, resumiu Daniel Hajj, CEO do grupo mexicano América Móvil, controlador da Claro Brasil. O executivo participou hoje, 28, de conferência com analistas sobre os resultados financeiros da empresa no primeiro trimestre do ano.

Oscar Von Hauske, COO do grupo AMX, ressaltou que o Claro Box não é apenas focado em TV por assinatura. Haverá integração com aplicativos de música, com o Facebook Watch, além dos outros app tradicionais de streaming. “Estamos nos adaptando às tendências na TV paga, mas não só na TV paga. Vemos isso como um hub de entretenimento”, falou.

Oi Móvel

A América Móvil mantém a previsão já divulgada em diferentes ocasiões de que a venda da Oi Móvel para o trio de operadoras Claro, TIM e Vivo será autorizada por Anatel e Cade neste ano.

Conforme Hajj, a análise da operação está avançando no ritmo esperado. “Todos estão comprometidos em cooperar com as autoridades durante este processo. Achamos que podemos selar a transação este ano, também. Assim, esperamos consolidar a Oi [Móvel] nas nossas finanças”, afirmou durante a conferência com analistas de mercado dos resultados do primeiro trimestre deste ano.

Torres

Hajj também afirmou que o processo de segregação de torres móveis está avançando dentro do grupo. A intenção da América Móvil é criar uma empresa de infraestrutura e listá-la na bolsa do México e talvez nos Estados Unidos também: “ainda não decidimos”, falou. Esta separação estrutural acontecerá no fim do ano, prevê o executivo.

A empresa terá todas as torres do grupo na América Latina. A AMX analisa se deve incluir no negócio também as torres construídas na Europa. “Há ainda muito trabalho a fazer, obter autorizações, mas não quer dizer que vamos vender todas as nossas torres”, ressaltou Hajj.

Resultados da América Móvil no 1º trimestre

O grupo AMX divulgou na noite de ontem, 27, os resultados financeiros dos três primeiros meses deste ano. A companhia registrou queda de 1,1% nas receitas com serviços, que somaram 207,1 bilhões de pesos mexicanos – equivalente a US$ 10,39 bilhões.

O EBITDA foi de US$ 4,1 bilhões, alta de 5,2% em pesos. O lucro líquido ficou em US$ 90,88 milhões, revertendo o prejuízo registrado no mesmo período do ano anterior. O Capex no período ficou em US$ 1,25 bilhão.

A Claro Brasil divulgou também o resultado à parte, em que registrou leve queda nas receitas e aumento do lucro.

Anterior Eutelsat vai aportar US$ 550 milhões na OneWeb
Próximos Receita da Huawei encolhe 16,5% no 1º trimestre