China Unicom é a segunda operadora chinesa expulsa dos EUA


China Unicom é a segunda operadora chinesa expulsa dos EUA. Crédito: Pixabay
Crédito: Pixabay

A Comissão Federal de Comunicação (FCC) dos Estados Unidos revogou a autorização da China Unicom Americas para atuar na área de telecomunicações do país. A subsidiária da estatal chinesa terá 60 dias para retirar suas operações do país contados a partir da emissão da ordem de ontem, 27.

“A Comissão considera que a ação protege as infraestruturas de telecomunicações do país contra possíveis ameaças de segurança”, diz a nota da FCC. Em março de 2021, a China Unicom foi convocada pelo órgão para prestar informações, mas a FCC afirmou que a empresa falhou em dissipar suas preocupações.

PUBLICIDADE

Assim como a China Telecom, expulsa dos EUA em 2021, a China Telecom também estaria sob influência e controle do governo chinês, segundo a FCC. Portanto, o órgão considerou ser bastante provável que a estatal “seja forçada a cumprir com os pedidos do governo chinês sem procedimentos legais suficientes para supervisão judicial independente”.

Isso permitiria que a China espionasse os EUA por meio do acesso, interrupção e/ou roteamento das comunicações do país. A FCC ainda argumentou que a representação e condução da empresa na Comissão e no Congresso dos EUA demonstraram “uma falta de franqueza e confiabilidade”.

Precedentes

Outra companhia chinesa, a China Telecom teve de retirar suas operações dos EUA neste mês. A operadora chegou a entrar na justiça contra a ordem da FCC, mas teve seu pedido de recurso negado. A corte argumentou que a companhia “não cumpriu os requisitos rigorosos para uma suspensão até revisão do tribunal”. A FCC enviou ao tribunal uma petição em que defendia sua posição inicial publicada no fim de outubro.

A retirada das duas operadoras estatais chinesas teve como precedente a criação de uma lei pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em 2020. O texto estabelecia que o Comitê para Avaliação da Participação Estrangeira no Setor de Serviços de Telecomunicações dos Estados Unidos tinha a tarefa de avaliar as licenças e aplicativos atuais. O Comitê devia fornecer recomendações à FCC para rejeitar, negar ou aprovar condicionalmente cada solicitação em nome da segurança nacional. (Com assessoria de imprensa)

PUBLICIDADE
Anterior Recuperação judicial da Sigfox não afeta clientes no Brasil, garante WND
Próximos Sai a lista de conselheiros substitutos da Anatel