China expande número de empresas investigadas por uso ilegal de dados pessoais


O regulador de internet da China anunciou hoje, 5, que vai investigar a companhia chinesa de recrutamento online Boss Zhipin, além dos aplicativos Yunmanman e Huochebang, da companhia Full Truck Alliance de transporte. As determinações vieram após o regulador ordenar o banimento da DiDi Chuxing, dona da 99 no Brasil, de plataformas de download de aplicativos, ontem.

PUBLICIDADE

As plataformas não podem receber novos usuários enquanto estiverem sob o escrutínio da Administração do Ciberespaço da China (CAC). O regulador informou que as companhias são suspeitas de violar as leis de proteção de dados e privacidade do país, mas não forneceu mais detalhes.

No caso da DiDi, a proibição chegou pouco depois da companhia abrir seu capital na bolsa de valores de Nova York no dia 30 de junho com uma avaliação de US$ 73 bilhões. Em nota, a DiDi alertou que essa restrição teria impacto negativo nas receitas na China.

Disse ainda que iria se esforçar para resolver quaisquer problemas e que irá proteger a privacidade dos usuários. No primeiro trimestre, a companhia obteve uma receita de RMB 42,2 bilhões (R$ 33,27 bilhões), sendo que RMB 39,2 bilhões (R$ 30,9 bilhões) vem da própria China.

As recentes medidas trouxeram um clima de temor no mercado asiático, com queda nas ações de gigantes como Tencent, SoftBank e Alibaba na bolsa de Hong Kong.

Em maio deste ano, a CAC puniu 33 aplicativos por utilizar dados sem o consentimento de usuários, incluindo o Tecent. No mesmo mês, o órgão emitiu avisos a mais de 100 aplicativos para que reduzissem a utilização de dados pessoais (Com agências internacionais)

Anterior José Borges assume direção de Inovação Corporativa da Siemens
Próximos Alíquota maior de ICMS para telecom é inconstitucional, dizem especialistas