CEO da Fox News, acusado de assédio sexual, com os dias contados


Roger Ailes preside a Fox News nos EUA há 20 anos
Roger Ailes preside a Fox News nos EUA há 20 anos

O canal de notícias mais rentável, de maior audiência e com as posições mais conservadoras dos Estados Unidos está agora vivenciando um dramalhão de novela mexicana, com direito a escândalos, denúncias de assédio sexual e demissões dos principais executivos.

Os principais jornais dos Estados Unidos -e mesmo da Europa – informam hoje,20, que Roger Ailes, o presidente todo poderoso da Fox News, que criou o canal há mais de 20 anos, e é um importante interlocutor do Partido Republicano norte-americano, está sendo pressionado pelo dono do conglomerado de mídia, Rupert Murdoch, para deixar a empresa.

Os termos de sua saída não foram revelados, mas já circulam informações que o executivo deixaria a emissora com um pacote de US$ 40 milhões em bônus. No ano passado, o executivo ganhou US$ 5 milhões de salário e mais US$ 21 milhões de extras.

E a demissão viria porque a jornalista Gretchen Carlson ingressou com ação na justiça contra ele, alegando assédio sexual. Segundo ela, Ailes a demitiu porque ela passou os últimos 11 anos em que trabalhou na emissora se negando a fazer sexo com ele.

Conforme informações do Financial Times, Ailes, que nega as acusações, estaria furioso com a família Murdoch por ter permitido a abertura de uma investigação interna, no início de julho, para apurar o fato. Há especulações de que, com a saída do CEO, as principais estrelas norte-americanas do canal também deixariam a emissora, já que o contrato deles estaria vinculado à permanência do executivo.

No ano passado, o canal registrou lucros de US$ 1,5 bilhão, quatro vezes maiores do que os da CNN, segunda colocada nos Estados Unidos.

Anterior Anatel envia lista com 40 empresas para administrar recuperação da Oi, mas destaca quatro
Próximos Oi abriu 21 lojas em SP este ano