Notícias da categroia

Leilão

Os processos de venda de faixas de frequências para prestação de serviços de telecomunicações no Brasil

Anatel liberou a íntegra da minuta do edital de licitação do 5G. Ela traz os lotes das frequências a serem leiloados; as obrigações de cobertura; as obrigações de garantias e a forma como se dará a venda. O preço final só será conhecido após a aprovação do Tribunal de Contas da União.

Pietro Labriola afirma que operadora vai comprar espectro em 3,5 GHz no próximo leilão da Anatel e acha “interessante” também investir nas ondas milimétricas de 26 GHz para usar em redes de transmissão de alta capacidade

Cada comprador poderá ficar com no máximo dois lotes dos blocos regionais

Em posicionamento emitido no dia seguinte à decisão da Anatel que definiu as regras do certame, Conexis defende “regras estáveis” e que tragam “segurança jurídica”

Segundo Leonardo de Morais, migração da TVRO para a banda Ku exigirá aporte de R$ 2,5 bilhões. Atendimento a 14 mil localidades com pelo menos 600 habitantes será o compromisso mais caro, exigindo R$ 13 bilhões. Cálculos são preliminares.

Segundo Cristiane Sanches, inclusão desonera empresas que queiram iniciar operação por FWA

Para Claro, TIM e Vivo, entidade que fará a migração da banda Ku terá muitas atribuições e pode atrasar na execução de seus compromissos. Para Anatel e Brisanet, mercado de banda Ku é maduro e ágil.

Claro e Vivo cobram detalhes sobre custos das obrigações atreladas à faixa de 3,5 GHz. TIM quer entender se Anatel considera que a 5G terá geração de receita diferente da executada pelo setor até hoje.

Conselheiro ressalta que as compradoras das frequências nacionais em 3,5 GHz receberão atestado de quitação dos compromissos de migração da TVRO, construção de rede privativa do governo e Norte Conectado tão logo façam os aportes financeiros na entidade que vai administrar essas iniciativas.

Fabio Faria conclui viagem aos países onde há fabricantes de equipamentos 5G dizendo que sem adoção de tecnologia standalone as novas redes móveis no Brasil serão redes 4G um pouco melhores, e que o padrão mais atual resultará em novas empresas e profissões.