Notícias da categroia

Artigos do leitor

Opinião dos nossos leitores, em artigos exclusivos para o TeleSíntese

{mosimage}Nem a LGT nem a legislação de defesa da concorrência autoriza a imposição de obrigações ex ante a prestadoras em razão de sua posição no mercado (detenção ou não de PMS).

Foto: Divulgação

{mosimage}O adiamento da conversão da tarifação da telefonia de pulso para minuto foi uma decisão acertada do governo, porque o sistema de conversão adotado pela Anatel é ilegal e penaliza o usuário. Mas, se as concessionárias telefônicas já estavam preparadas para fazer as contas detalhadas, não há porquê adiar a emissão dessas contas já que a cobrança indevida é o principal motivo de reclamação dos usuários junto aos Procons. Por Flávia Lefévre

Foad é agora VP global da Furukawa

{mosimage}As redes FFTH (Fiber to Home) permitem às provedoras oferecer uma variedade de serviços de comunicação e entretenimento, tais como telefonia, internet de alta velocidade, televisão por assinatura e serviços interativos e bidirecionais com uso intensivo de imagens.

{mosimage}O governo não deve adotar um padrão estrangeiro, sem integrar a ele os desenvolvimentos, especialmente na área de software, realizados pelo consórcio de pesquisa do SBTVD. Caso contrário, todo o esforço feito pelo próprio governo, que mobilizou 80 grupos de pesquisa que trabalharam por mais de dois anos e aplicou no projeto cerca de R$ 55 milhões, irá para o ralo.

Foto: Divulgação

{mosimage}A televisão atrasou-se , em relação a outros setores, no processo de digitalização e tem que dar o sobre passo agora. Não pode se atrasar mais, nem ficar dependente de outros atores.

Foto: Divulgação

{mosimage}A TV digital é uma janela de oportunidade para o país decidir como vai se inserir, de forma autônoma, na Sociedade da Informação.

{mosimage}Para Rodrigo Dienstmann, vice-presidente da GVT, a redução dos preços de serviços e equipamentos, o crescimento da base de clientes e dos prestadores alternativos provocará a substituição da telefonia convencional pela VoIP já este ano.

{mosimage}A baixa penetração da banda larga nos lares brasileiros (6,7%) limita o uso desta facilidade, diz  Juarez Quadros, sócio da Orion Consultoria. O Brasil precisa encontrar soluções para o rico mercado de pobres que tem 34% dos domicílios sem telefone ou 87% das residências sem acesso à internet.

{mosimage}Para as operadoras brasileiras, é necessário adotar a flexibilidade como palavra de ordem. Os desafios são muitos, e incluem principalmente meios para adaptar o desempenho das redes às demandas dos usuários.

{mosimage}Presidente da Teclan propõe mudança gradual para VoIP pois, apesar de redução de gastos, a tecnologia envolve uma nova arquitetura e altos gastos implemetares, especialmente para pequenas empresas