Capitalizado, Grupo AlmavivA prepara aquisições no Brasil


O grupo italiano AlmavivA de tele-atendimento com 70 unidades espalhadas pelo mundo, finalizou processo de estruturação de seus Bonds, a fim de fomentar projetos de aquisições e fusões nos próximos dois anos. No final de 2021, a holding AlmavivA reembolsou antecipadamente um Bond de 250 milhões de euros, com taxa de juros anual de 7,250%, e emitiu um novo Bond de 350 milhões de euros, com taxa de juros anual de 4,875%.

PUBLICIDADE

Além disso, um pool de bancos abriu uma importante linha de crédito, com taxa de juros de Euribor + 275 pontos. O aumento do valor do crédito disponibilizado e a forte redução da taxa de juros foram viabilizados pela forte performance do Grupo AlmavivA e pela consequente melhora da avaliação das agências de rating.

O CEO da AlmavivA do Brasil, Francesco Renzetti, comenta que essa operação reflete a solidez financeira da companhia e o seu apetite para aquisição de novos negócios nos segmentos de Tecnologia da Informação, Customer Experience e Inteligência Artificial. Esse montante irá sustentar um plano agressivo de aquisições, em nível global, a ser realizado, em grande parte, no decorrer do ano de 2022.

AlmavivA no Brasil

Segundo Renzetti, o Brasil terá um papel importante na implementação desta estratégia. “Nos últimos meses, analisamos mais de 25 targets e decidimos aprofundar 3 oportunidades de investimento no Brasil, que estão em fase de due diligence. Dentro desse plano, está a recente aquisição da CRC, uma das empresas líderes no segmento de recuperação de crédito do Brasil, e faturamento anual de R$ 220 Milhões. Com certeza dentro do primeiro semestre de 2022 teremos outras novidades importantes, que confirmarão a aposta do Grupo Almaviva no País”, segundo ele.

Com 15 unidades espalhadas pelo País e 37 mil colaboradores, a AlmavivA do Brasil é considerada uma das maiores empresas de relacionamento com clientes (Customer Experience) e terceirização de processos de negócios (BPO). A empresa mantém um crescimento exponencial há 15 anos no País e possui receita aproximada de R$ 1,5 bilhão.

Investimentos em digitalização

Segundo Francesco Renzetti, a pandemia acelerou os processos de digitalização da empresa, sendo que, atualmente, 1/3 das 350 milhões de interações anuais com consumidores brasileiros foram realizadas por meios digitais. Em 2021, foram investidos R$ 66 milhões em novas tecnologias, treinamento e capacitação de colaboradores para impulsionar a transformação digital nos processos de atendimento aos clientes e também nos processos internos da AlmavivA do Brasil. Em 2020, foram investidos R$ 40 milhões, em 2019 R$ 35 milhões. Nos últimos anos, desde o início de suas operações no Brasil, foram investidos mais de R$ 500 milhões.

PUBLICIDADE
Anterior Assinado decreto que regulamenta uso do FUST
Próximos Oi comunica ao mercado indicação para conselho fiscal