Campus Conectado com 5G é inaugurado pela Facens, Ericsson, Embratel e Claro


Na manhã desta sexta-feira, 25, a Ericsson, a Embratel e a Claro, com o apoio do seu hub de inovação – o beOn Claro – inauguraram o maior campus universitário conectado com a tecnologia de quinta geração de São Paulo.

PUBLICIDADE

A inauguração contou também com o apoio da John Deere, Qualcomm Technologies, Inc., e Motorola, que apresentaram em primeira mão e colocaram em funcionamento um pulverizador de grande porte, o primeiro conectado ao 5G, mostrando como a aplicação poderá apoiar o desenvolvimento do setor de agronegócios.

O 5G Smart Campus Facens fomentará pesquisas, projetos e desenvolvimento de soluções digitais para outros segmentos, como automotivo, Indústria 4.0, cidades inteligentes, telemedicina e educação.

A solenidade contou a presença do Presidente da República, Jair Bolsonaro, do Ministro das Comunicações Fábio Faria; do Ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes e da Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e representantes das empresas envolvidas.

Maquinário

Na ocasião, foi possível acompanhar o pulverizador conectado por 5G em ação utilizando um moto g100 5G para transmissão do sinal. O pulverizador tem como diferencial o ExactApply, sistema inteligente de pontas que permite maior precisão na aplicação dos insumos, além de melhor qualidade de cobertura, tudo de forma automatizada, ou seja, a própria máquina faz a leitura e aplica a quantidade de produto correta, no local necessário. O sistema evita o desperdício de insumos durante a pulverização. Todo o monitoramento em tempo real da aplicação foi realizado utilizando o 5G.

Nesta demonstração, a máquina agrícola é conectada à nuvem por meio de uma rede 5G, usando um dispositivo Motorola Moto G100, alimentado pela plataforma móvel Snapdragon 870 5G da Qualcomm, com o sistema Snapdragon X55 5G Modem-RF e o subsistema Qualcomm FastConnect 6800.

Para a Ericsson, a ação demonstra um pedacinho do impacto que o 5G trará para o agronegócio. “Será possível controlar, de maneira efetiva, todos os processos de uma fazenda, automatizar uma série de etapas, diminuir prazos, custos, etc. De acordo com uma projeção que fizemos, o 5G possibilitará que o setor amplie seus rendimentos em 67% nos próximos anos. Nossa expectativa é que com o 5G, posicionaremos o país como o maior exportador de produtos agrícolas da próxima década”, estima, Tiago Machado, VP de Negócios da Ericsson.

“O agronegócio, por exemplo, é um dos mais importantes segmentos para a Embratel e para o País, e a demonstração realizada na inauguração do smart campus comprova como o 5G possibilitará a difusão de novas tecnologias no campo, tornando os processos mais produtivos e otimizados”, diz Adriano Rosa, Diretor-Executivo da Embratel.

Outros setores

Além da demonstração no setor agro, foram apresentadas aplicação do 5G em outros três diferentes setores – industrial, acadêmico e automotivo. De acordo com Ellis Menasce, Diretor de Mercado do IP Facens, o case para a indústria foi feito pela inserção de sensores de vibração, temperatura e umidade em um torno mecânico, que enviam dados em tempo real, abrindo possibilidade de correção de parâmetros de execução de uma peça e evitando que seja retrabalhada ou descartada por desvios dimensionais.

Já no âmbito acadêmico, Menasce explica que o Centro Universitário desenvolveu um laboratório virtual em que o aluno pode realizar aulas práticas, utilizando os mesmos equipamentos encontrados em um laboratório real. Com a chegada do 5G, é possível que um professor acompanhe simultaneamente o aluno, podendo colaborar e interagir com o ele durante a atividade.

Para o setor automotivo, o Diretor do IP Facens destaca a utilização de um carro autônomo em escala desenvolvido por alunos, para estudos nos campos de inteligência artificial e visão computacional. O modelo utiliza a conexão 5G para descentralização de processamento de dados, ou seja, a conexão 5G com sua baixa latência e alta taxa de transferência permite que o processamento pesado seja feito de maneira remota ou em nuvem.

“Todas as demonstrações realizadas na Facens durante a inauguração mostram ao mercado o potencial que o 5G Smart Campus tem para criar e desenvolver soluções para todos os setores. A chegada do 5G tende a transformar o nosso mercado e a nossa socidade”, destaca Ellis Menasce.

Novas aplicações

O 5G Smart Campus Facens permitirá que empresas, startups e academia possam conhecer, testar, prototipar e escalar seus produtos utilizando uma rede 5G dedicada.

“O meio acadêmico é um celeiro multidisciplinar de ideias e oferecer as condições ideais para o desenvolvimento de aplicações com conectividade 5G no campus é um diferencial para conectar negócios e pessoas, em diversos segmentos da economia e sociedade, de formas que antes não eram possíveis”, afirma, Eduardo Polidoro, diretor de IoT da Claro.

O executivo enfatiza que o papel da companhia nesta parceria vai muito além de ser um provedor de tecnologia. “Estamos presentes neste programa conjunto com o objetivo de fomentar o desenvolvimento de soluções disruptivas em diversos setores da economia e para isso contamos com o envolvimento e a expertise do nosso hub de inovação, o beOn Claro”, ressalta.

Anterior Crimes financeiros crescem 70% em um ano
Próximos LGPD ainda tem um longo caminho de regulamentação, alerta presidente da ANPD