Campinas ganha iniciativa de inovação aberta em 5G


Prefeito de Campinas, Dario Saadi, segura o manifesto do Open 5G @ Campinas, ao lado de parceiros da iniciativa
Prefeito de Campinas, Dario Saadi, segura o manifesto do Open 5G @ Campinas, ao lado de parceiros da iniciativa representantes da RNP, Embrapa, CPQD, PUCCAMP, TIM e Unicamp (Foto: Rafael Bucco)

O CPQD, ao lado da Prefeitura de Campinas, da Embrapa, da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), da PUC Campinas e da TIM, inaugurou hoje, 8, a iniciativa Open 5G @ Campinas.

O movimento tem como proposta fazer da região de Campinas, no interior paulista, um polo de pesquisa e produção de tecnologias 5G, com o compartilhamento de informações entre instituições e laboratórios ao melhor estilo do conceito “open innovation” (inovação aberta).

PUBLICIDADE

Neste momento, apenas os integrantes mencionados acima participam, mas a intenção é atrair outras operadoras, fabricantes de equipamentos e desenvolvedores de software.

“A intenção é trazer novos atores com atuação não só em Campinas, mas no cenário nacional, que tenham interesse em desenvolver ou testar soluções e aplicações 5G em vários segmentos, como saúde, educação, agronegócio, cidades e indústria”, explica o presidente do CPQD, Sebastião Sahão Júnior.

Para isso, os parceiros do Open 5G @ Campinas irão colocar à disposição de outros interessados em aderir a esse movimento a infraestrutura de laboratórios e de rede já disponível, que vem sendo utilizada em projetos em andamento.

Por exemplo, o CPQD trabalha ao lado da RNP no desenvolvimento de Open RAN e aplicações para 5G com recursos do FUNTTEL (Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações) e do Ministério das Comunicações, e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Ao todo, recebeu R$ 36 milhões para esse desenvolvimento, que serão usados até 2025.

Incentivos fiscais em Campinas

A assinatura do documento do Manifesto pela Inovação Aberta com 5G aconteceu na Prefeitura Municipal de Campinas.

Também hoje, a cidade publicou no Diário Oficial o decreto 22.166/22, que regulamenta benefícios fiscais para a atração de novas empresas para a cidades – incluindo pequenas e médias que desenvolvam tecnologia.

O decreto abate o IPTU das novas empresas que se instalarem ali, inclusive data centers, desenvolvedores de software e afins, com benefícios que duram de seis a 20 anos.

A expectativa da prefeitura é de que nos próximos três anos, o decreto resulte em aportes de até R$ 4 bilhões na cidades em todas as áreas, não apenas tecnológica.

Segundo Leonardo Capdeville, vice-presidente de tecnologia da TIM, a operadora vai oferecer para os laboratórios e universidades de Campinas conectividade 5G para pesquisa e criação de aplicações. “As universidades vão nos dizer o que precisam em infraestrutura, e vamos então instalar ali a antena, que poderá ser 5G em 3,5 GHz, 2,3 GHz, ou mesmo em ondas milimétricas”, explicou ao Tele.Síntese, após a assinatura do acordo.

Unicamp e PUC-Campinas, como signatárias, vão utilizar as demandas da iniciativa para orientar o ensino tecnológico e incentivar os projetos de pesquisa.

A iniciativa Open 5G @Campinas terá como foco inicial P&D em Open RAN, fatiamento (slicing) de rede, orquestração e automação, Inteligência Artificial, core e edge computing, IoT, AR/VR, drones, automação e robótica.

Para divulgar a inciativa, foi criado este site.

*O jornalista viajou a Campinas a convite do CPQD

PUBLICIDADE
Anterior Organizações setoriais se manifestam pela redução do ICMS para telecomunicações
Próximos Planejamento das bandas mmWave para 5G ainda está em fase inicial na América Latina, conclui estudo