Caixa da Oi encolheu R$ 284 milhões em setembro


O administrador judicial da Oi, o escritório de advocacia Arnoldo Wald, divulgou nesta semana o relatório de desempenho de setembro das empresas do grupo que fazem parte da recuperação judicial. Os dados mostram melhora das finanças da companhia, com redução dos custos acima da redução das receitas. Ainda assim, houve queima de caixa da ordem de R$ 284 milhões.

Segundo a Oi, o resultado se deve principalmente a uma operação intra-company, que transferiu R$ 201 milhões no mês para uma empresa do grupo que não está inserida na recuperação judicial – no caso, a UPI Infraco. A transferência foi um adiantamento para futuro aumento de capital realizada com outra empresa do Grupo fora da recuperação judicial.

PUBLICIDADE

As seis empresas participantes da RJ registraram, juntos, receitas de R$ 2,12 bilhões, uma queda de 1,8%. Essa queda se deveu à diminuição do valor movimentando em interconexões entre empresas do próprio grupo. As vendas a clientes, de serviços de rede e de recargas no pré-pago cresceram todas no período.

Ao mesmo tempo, houve aumento da economia por parte da tele, que diminuiu os gastos em R$ 200 milhões, para R$ 1,63 bilhão, redução de 10,9% em relação a agosto.

Os investimentos da Oi seguem acelerados, tendo havido alta de 12,2% na rubrica em setembro, em relação a agosto. Ao todo, as empresas em RJ tiveram Capex de R$ 592 milhões. Os aportes se concentraram, segundo a empresa, em fibra óptica e ampliação da rede móvel.

No mês, a Oi registrou também a entrada de de R$ 20 milhões referentes às vendas de dois imóveis nas cidades de Enseanda do Suá (ES) e em Goiânia (GO).

Como os pagamentos e Capex somados superaram as receitas, a empresa teve a queima de caixa, e terminou o mês com reservas de R$ 5,108 bilhões, 5,3% inferiores às de agosto.

Os dados completos do trimestre da companhia foram divulgados na semana passada, quando apontaram ainda prejuízo para a companhia, embora menor que o apurado no terceiro trimestre de 2019.

Anterior Nova rota reduz a latência da conexão Peru-Brasil em 30%
Próximos Infobip compra unidade de soluções móveis da Amdocs por US$ 300 milhões