Cade mantém Claro e nega ingresso da NeoTV no processo da joint-venture das TVs abertas


A conselheira Cristiane Schmidt do  Cade (órgão antitruste) manteve hoje, 13, a decisão de aceitar os argumentos da Claro no processo que julga o pedido de criação da joint-venture entre os canais SBT, Record e RedeTV para o fornecimento de programação às operadoras de TV paga.

Mas negou o pedido da NeoTV de também ingressar no processo como parte interessada. A ABTA (entidade que congrega as operadoras de TV paga) e a SKY já estão arroladas como parte interessadas desde o primeiro momento.

O superintendente geral do Cade havia aprovado o pedido de criação da nova empresa sem qualquer restrição, por entender que ela não afetaria o mercado de TV por assinatura, para o qual serão vendidos os pacotes de TV. Mas as operadoras recorreram da decisão, cuja relatora sorteada está ainda na fase de ouvir as argumentações.

PUBLICIDADE
Anterior Cyber segurança e governança da internet vêm em um pacote único, diz diretora do IEEE
Próximos EAD já prepara distribuição do conversor de TV digital para Brasília