Brisanet e Desktop buscam abertura de capital, depois da Unifique


Crédito: Freepik

Depois da Unifique, mais duas prestadoras regionais registram pedidos de abertura do capital à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A Desktop Sigmanet e a Brisanet, que já mostrou apetite para entrar sozinha no leilão do 5G. 

A Brisanet é a maior entre as três, com receita líquida de R$ 472 milhões em 2020, alta de 61% na comparação com 2019 e margem Ebitda de 37,9%. A empresa tinha 675 mil acessos de banda larga fixa em março deste ano, segundo dados da Anatel. 

 O Banco Santander, a XP Investimentos, o BTG e a UBS trabalharão com a Brisanet nessa empreitada. Além da OPA no Brasil, a empresa pretende colocar suas ações nos Estados Unidos. 

A Desktop escolheu como agentes da IPO o Itau BBA, UBS, BTG Pactual e Bradesco. A receita líquida do provedor foi de R$ 167 milhões em 2020, 47% maior que a de 2019. Margem Ebitda de 41,4% em 2020 e 255 mil acessos Banda Larga fixa em março de 2021. 

A Unifique, primeiro a registrar seu prospecto na CVM, registrou receita líquida de R$ 286 milhões em 2020, 75% maior que a de 2019. Margem Ebitda de 48,7% em 2020 e 318 mil acessos Banda Larga fixa em março de 2021. 

Outros provedores regionais se preparam para abrir o capital. Muitos pretendem esperar pelos resultados dos pioneiros. 

 

Anterior Vivo levará fibra para 25 novas cidades de MG em 2021
Próximos MHNet cria agenda de crescimento e prevê fechar 2021 com 300 mil assinantes