PORTAL DE TELECOM, INTERNET E TIC

Desempenho

Brasil se destaca em inovação entre países de renda média

O país também subiu cinco posições no ranking de inovação geral, estando entre os quatro países da América Latina dentro do top 60
Inovação
Light Bulb Ideas Creative Diagram Concept

Pela primeira vez, o Brasil está entre os países de renda média que superaram as expectativas na performance de inovação, atrás apenas da China, Bulgária e Tailândia, nessa ordem.

Essa classificação foi produzido pelo Global Innovation Index 2021 e leva em conta a condição econômica do país. O ranking tem, no total, quatro categorias: performance acima das expectativas para nível de desenvolvimento;  performance em linha com nível de desenvolvimento; e todas as outras economias

Já no ranking geral, o país também subiu cinco posições, chegando a 57º posição. Com isso, o Brasil passa a ocupar maior posição em inovação desde 2012. Porém, o relatório GII 2021 afirma que, com a exceção do México, não houve muito avanço em inovação na América Latina. Apenas outros três países da região conseguiram ficar no top 60. São eles: Chile (53º), México (55º) e Costa Rica (56º).

O Brasil foi a única economia da região cujos gastos em P&D estão acima de 1% do PIB. O valor é comparável a algumas economias europeias, como Croácia e Luxemburgo. Além disso, o país é um dos seis de renda intermediária a hospedar clusters de ciência e tecnologia. A pesquisa observou altas taxas de crescimento em Delhi e Mumbai, na Índia, e em Istambul, na Turquia.

No quesito instituições, o Brasil ficou em 78º lugar ante 82º em 2020. Dentro de instituições há mais três critérios: ambiente político, no qual o Brasil ficou em 85º lugar em 2021 e 91º em 2020, ambiente de negócios (80º em 2020 e 2021) e ambiente de regulaçã0 (de 77 em 2020 para 74º em 2021).

Em sofisticação de negócio, o Brasil subiu uma posição, ficando em 34º, enquanto em sofisticação de mercado saiu de do 91º lugar em para 2020 para o 75º em 2021. Com produção criativa, o país avançou nove posições e chegou ao 66º lugar. No critério produção e conhecimento tecnológicos, o Brasil entrou para 51º colocação após subir cinco posições.

Resultados gerais

Conforme o relatório, investimentos demonstraram resiliência durante o período de covid-19. No geral, o investimento em P&D cresceu 10% de 2019 para 2020 entre companhias. Os líderes em inovação foram Suíça, Suécia e Estados Unidos. Ainda assim, poucas economias conseguiram entregar grandes performances no ranking.

A maioria das 25 economias mais inovadoras continuam a ser da Europa. No entanto, países da Ásia estão se destacando cada vez mais. A Coreia do Sul, por exemplo, entrou no top 5 pela primeira vez no GII 2021. Por sua vez, a China tem avançado na classificação de forma constante e estável, se aproximando dos dez melhores.

O volume de investimentos também variou de acordo com o segmento. Os setor de tecnologias de computação e comunicação cresceu, enquanto transporte e viagem declinaram. 80% das indústrias de TIC relataram aumento nos investimentos em P&D para softwares e 65% em hardware e equipamentos elétricos.

O relatório completo, em inglês, pode ser lido aqui.

TEMAS RELACIONADOS

ARTIGOS SUGERIDOS



 

Demanda por DWDM cresce e Multi PRO | ZTE amplia portfólio.
Além do DCI ZXONE – 7000 C2D produto lançado recentemente, a marca trará atualizações para equipamentos que já estão no mercado