Brasil e Coreia do Sul assinam acordos para a economia criativa


As presidentes Dilma Rousseff e a sul-coreana Park Geun-hye estiveram reunidas hoje,24, em Brasília, quando foram assinados vários acordos entre os dois países. Em seu discurso, Rousseff assinalou que o governo brasileiro quer empreender maior esforço para ampliar a exportação de produtos com maior valor agregado, já que a Coreia do Sul é o sétimo parceiro comercial do Brasil no mundo e o terceiro da Ásia, com comércio bilateral de US$ 12 bi no ano passado.

A presidente sul-coreana, por sua vez, assinalou a atuação conjunta dos dois países para a construção da economia criativa e a sociedade do conhecimento, com a assinatura de diferentes memorandos de C&T e apoio a start ups e pequenas e média empresas.

Foram assinados memorandos de entendimento entre o MCTI dos dois países para facilitar a cooperação no campo da economia criativa. Ainda memorando de entendimento e carta de intenções entre os ministérios da Comunicações dos dois países para comunicação móvel, 5G, M2M e big data. Com  os ministério da Indústria acordo para apoiar as micro e pequenas empresas e criação do “comércio sem papel” entre os dois países.

PUBLICIDADE

Com o Ministério da Fazenda dos dois lados foi assinado protocolo para evitar a dupla tributação e prevenir a evasão fiscal de imposto de renda. Com os do Trabalho, acordos para intercâmbio e sistemas de treinamento e com a Eletrobrás e Koreaq Electric, para desenvolvimento de pesquisas em energia nuclear. E memorando de entendimento entre Vale de Korea Eximbank. Segundo o governo brasileiro, o banco coreano irá financiar até US$ 2 bihões à Vale em parceria com empresas coreanas.

A Samsung também firmou acordo de US$ 5 milhões para ampliar a comunicação entre a Amprotec (Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores) e o Centro de Economia Criativa e Inovação coreano.

As duas presidentes manifestaram-se também aliadas contra a militarização da Coreia do Norte

Anterior AT&T realiza terceira maior venda de títulos da história
Próximos Bechara antecipa saída e Anatel ficará com três conselheiros a partir de agosto