Brasil, com três milhões de acessos 3G.


A base de telefonia celular de fevereiro, divulgada hoje pela Anatel, demonstra que a banda larga móvel continua a crescer no país, apesar da crise econômica. Conforme a distribuição do número de acessos por tecnologia, o Brasil fechou fevereiro com quase três milhões de acessos 3G, se forem consideradas apenas as tecnologias WCDMA e os …

A base de telefonia celular de fevereiro, divulgada hoje pela Anatel, demonstra que a banda larga móvel continua a crescer no país, apesar da crise econômica. Conforme a distribuição do número de acessos por tecnologia, o Brasil fechou fevereiro com quase três milhões de acessos 3G, se forem consideradas apenas as tecnologias WCDMA e os modens de transmissão de dados. Esses dois juntos somaram 2,978 milhões de acessos, quase 10% a mais do que o mês de janeiro, quando a base era de 2,714 milhões.
Se forem acrescidos os terminais CDMA 2000, com 256 mil aparelhos, o mercado brasileiro de banda larga móvel ultrapassa os três milhões de clientes.

Há, porém,uma discrepância entre os números divulgados no mês passado e neste mês. Segundo a Anatel, trata-se de ajustes de informações feitos pelas próprias empresas. Em janeiro, a informação era de que havia 1,981 milhão de terminais WCDMA no país e, em fevereiro, este número caiu para 1,436 milhão. Em compensação, a quantidade de terminais de dados (os modens de banda larga)  dobraram de um mês para o outro: foram 733 mil em janeiro e 1,542 milhão em fevereiro. Conforme a assessoria, essas diferenças continuarão a ocorrer, até que se consiga uniformizar de que maneira as informações devem ser fornecidas pelas empresas.

Como exemplo, a assessoria lembrou que antes, as empresas informavam todos os terminais 3G comercializados, mesmo aqueles que não tinham planos de comunicação de dados acoplados. Agora, a base 3G representa efetivamente o acesso à banda larga e não simplesmente a aquisição do aparelho.

PUBLICIDADE

Quanto às demais tecnologias, não há surpresas: GSM, com lidernça incoteste (quase 90% da base).Ainda existem 6,8 mil usuários que não abandonaram a tecnologia analógica AMPS.

Anterior Samsung apresenta novo celular
Próximos Sony Ericsson prevê prejuízo maior que esperado