PORTAL DE TELECOM, INTERNET E TIC

Banco Digital DMI

Bradesco avalia uso de criptografia quântica com a IBM

O banco vai criar um Inventário de Materiais Criptográficos (CBOM) que terá piloto no Open Finance da instituição financeira
Bradesco avalia uso da criptografia quântica
Bradesco avalia uso da criptografia quântica
(crédito: Freepik)

O Bradesco, por meio do inovabra, ecossistema de inovação, ampliará seu relacionamento com a IBM para explorar e avaliar o uso de criptografia quântica segura. Essa medida se dá a partir do reconhecimento da necessidade de antecipar futuros desafios que possam surgir com o advento dos computadores quânticos criptograficamente relevantes.

Esta ação será implementada inicialmente com o IBM Quantum Safe Explorer, que ajuda as organizações a varrer e localizar ativos criptográficos, pendências e vulnerabilidades. Isso permitirá ao Bradesco criar um Inventário de Materiais Criptográficos (CBOM) para melhor planejar, implementar e aplicar na prática a tecnologia de criptografia pós-quântica. Será utilizada a aplicação do Open Finance do banco como piloto.

O setor financeiro usa criptografia para transações bancárias, certificados digitais, armazenamento dos dados, entre outros. Os especialistas, por meio do IBM Quantum Safe Explorer, ajudarão o banco a identificar potenciais algoritmos criptográficos vulneráveis nos seus sistemas, auxiliando na identificação de aplicações sob risco de ataques usando computação quântica.

Com base nessa avaliação, o Bradesco planeja criar uma metodologia para identificar outras aplicações que possam se beneficiar de tecnologias de criptografia pós-quânticas seguras e prepará-las para integrar os algoritmos resistentes a futuros computadores quânticos criptograficamente relevantes.

“Uma das consequências da computação quântica em larga escala no futuro pode ser seu impacto nos sistemas de proteção de dados. Entendemos que nossa preparação é prioridade neste momento”, afirma Cíntia Barcelos, diretora de Tecnologia do Bradesco.

Computação quântica

O Bradesco também anuncia que ingressou na IBM Quantum Network para explorar as aplicações da indústria de computação quântica. Com isso, passa a ter acesso à expertise e aos softwares quânticos da IBM, bem como à frota global de computadores quânticos disponíveis na nuvem.

Como parte da IBM Quantum Network, o plano da instituição financeira é ampliar as experimentações com a computação quântica, que vêm sendo realizadas desde 2021. Essa iniciativa do Bradesco vai expandir o número de experimentos em diversas áreas internas, como: otimização (distribuição de caixa e otimização de portfólio); forecasting (projeção de variáveis macroeconômicas) e simulação (precificação de derivativos e análise de risco); além de construir modelos e compará-los com métodos tradicionais baseados na simulação clássica de Monte Carlo.

Essas iniciativas terão como objetivo explorar formas de aumentar a eficiência operacional e melhorar a tomada de decisões estratégicas no ambiente financeiro. Entre os esforços em andamento, o Bradesco pretende investigar como a computação quântica pode ajudar a viabilizar a execução de modelos de precificação de opções europeias de compra e venda, simulação de cenários e testes associados.

O Bradesco também está explorando os benefícios da computação quântica em outras áreas importantes do setor financeiro. Utilizando modelos altamente complexos, a corporação busca descobrir métodos iniciais que possam eventualmente aproveitar os recursos oferecidos pela tecnologia quântica, como maior velocidade de processamento e maior precisão.

O Bradesco também está intensificando suas experimentações de Inteligência Artificial Generativa como parte de sua estratégia de transformação digital

 

TEMAS RELACIONADOS

ARTIGOS SUGERIDOS