Bondholders recorrem à justiça norte-americana contra a Oi


força_queda_de_braço

Um grupo de credores da Oi iniciou nos Estados Unidos um processo especial conhecido como “Chapter 15” para tentar forçar a companhia a negociar a proposta de recuperação judicial feita no fim do ano passado, informa a agência Reuters.

Segundo fonte próxima ao grupo de credores,  assessorados pela Moelis & Co, o objetivo da medida é garantir uma forma de eventualmente rejeitar, nos Estados Unidos, uma aprovação do plano de recuperação da Oi na justiça no Brasil que não leve em conta opções apresentadas pelo grupo em dezembro.

PUBLICIDADE

No fim do ano passado, esse grupo de bondholders propôs injetar  US$1,25 bilhão de de capital novo na operadora, oferta que lhes daria o controle imediato da empresa, por meio de uma troca de dívida por ações. O grupo é apoiado pelo bilionário egípcio Naguib Sawiris.

o plano proposto pela Oi, atualizado em março, daria aos credores 25% das ações da empresa ou papéis conversíveis em bônus com vencimento em três anos, momento em que os credores poderiam ser donos de até 38% das ações da empresa. O plano poderia reduzir a dívida da Oi para cerca R$21 bilhões, menos da metade do nível atual, mas imporia descontos significativos para os detentores de bônus da empresa.

Pelo processo de Chapter 15, o grupo tentará reter a receita que a Oi obtém em acordos de interconexão acertados com operadoras de telecomunicações dos EUA. “Se a empresa (Oi) consegue aprovação do plano de recuperação, o mesmo terá que ser admitido fora do país pelo dela ter acordos contratuais e fluxo de caixa fora do Brasil, inclusive os acordos de interconexão”, disse a fonte.

“Se o plano não for admitido nos Estados Unidos, os credores poderiam tentar obter decisões judiciais no sentido de empenhar dinheiro (relativo aos contratos de interconexão) que de outra maneira iria para a Oi ou operadoras pagas pela Oi”, disse a fonte.

A fonte afirmou ainda que o procedimento Chapter 15 permite que credores de grupos fora dos EUA acessem a justiça norte-americana desde que um processo de recuperação judicial esteja ocorrendo no país onde se baseia o grupo internacional.

 

Anterior Ericsson vai exibir teste com tecnologia 5G em Indianápolis
Próximos Deputados tentam acordo com teles em projeto contra franquia de dados