Bittar defende novo PNBL com metas arrojadas


bittar-encontro-provedores
O deputador Jorge Bittar participou nesta terça-feira (22) do Encontro Provedores Regionais, no Rio de Janeiro.

O deputado Jorge Bittar, integrante da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados, disse hoje (22) que o país precisa dar mais ênfase a banda larga fixa no novo plano nacional de banda larga (PNBL2) e defendeu uma maior participação dos pequenos e médios provedores de acesso à internet para levar a fibra óptica até a casa dos brasileiros. “Para isso, é preciso ter um programa que incentive os pequenos e médios provedores e que se crie facilidades para que eles tenham acesso às linhas de financiamento como o PSI do BNDES, com taxas de juros da ordem de 5% ao ano”, sugeriu. Bittar fez hoje a abertura do 8 Encontro Regional de Provedores, realizado pela Bit Social no Rio de Janeiro e que reuniu mais de cem provedores da cidade do Rio de Janeiro e de outros 20 municípios do estado do Rio.

O deputado lembrou que existem agências estaduais, como a AG Rio, que são parceiras do BNDES e podem viabilizar o acesso dos provedores regionais aos recursos do banco de desenvolvimento. “Este é um setor que está em expansão, os jovens das comunidades querem ter acesso à banda larga e quando se oferece esse serviço é impressionante como a criatividade dessa juventude se desenvolve”, comentou.

Na visão de Bittar, o novo programa precisa levar a fibra até a casa do usuário (FTTH) para se oferecer acesso com alta velocidade, mas é fundamental também que essa oferta seja combinada com preços acessíveis e se ofereça diversidade de serviços. “Para isso é necessário que haja um planejamento que contemple proteção e estimule os pequenos provedores. É fundamental termos financiamento acessível aos pequenos”, afirmou, enfatizando que o PNBL2 precisa dar “mais retaguarda aos pequenos na área de infraestrutura”.

PUBLICIDADE

O Encontro Provedores Regionais é a realizado pela Bit Social, com o patrocínio do BNDES, Sebrae e da Padtec.

Anterior Minicom testa piloto com o Banco do Brasil para definir modelo de financiamento para ISPs
Próximos Teles continuam entre as 10 empresas mais reclamadas no Procon-SP